CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo:Projeto Vitó contesta apanha de areia em tempo de desova das tartarugas marinhas 19 Julho 2019

A apanha de areia nas praias da ilha do Fogo é normalmente suspensa entre os meses de Junho a Outubro, período das desovas das tartarugas marinhas. Entretanto, a extracção da areia continua nas praias de Fonte Bila, Outra Banda e algumas praias no concelho dos Mosteiros. A situação é mais agravante em São Filipe por acontecer em plena época das ferias de verão, sem nenhum tipo de articulação com a ONG Projecto Vitó. Uma situação que para além de comprometer a qualidade das praias, vem diminuindo os ninhos. Facto que deixa descontente os responsáveis da ONG da defesa das tartarugas.

Fogo:Projeto Vitó contesta apanha de areia em tempo de desova das tartarugas marinhas

Conforme trabalhadores da área, há décadas que a apanha de areia constitui uma fonte de rendimento para o sustento de muitas famílias no Fogo. Mas neste momento esta actividade vem acontecendo com sua suspensão periódica pelas autoridades, uma situação que vem gerando alguma polémica na ilha, principalmente na cidade dos sobrados.

Por isso, regista-se actualmente uma grande pressão da ONG Vitó, sobre a Câmara Municipal, Instituto Marítimo e Portuário e Ministério da Agricultura e Ambiente, para a fazer suspensão da apanha de inerte para o uso nas suas construções.

“Estamos em plena época da desova das tartarugas marinhas em Cabo Verde. O Governo e as ONGs estão a fazer um esforço grande para diminuir as ameaças sobre esta espécie. No entanto, na ilha do Fogo estamos a deparar com a situação oposta com forte degradação das praias com apanha de areia. Sem duvida, a situação mais grave e degradante é a que se verifica em São Filipe, sem nenhum tipo de articulação”, escreve a ONG Vitó na sua pagina oficial do Facebook.

Segundo a mesma organização , durante a ultima reunião da Rede Nacional de Proteccao das Tartarugas Marinhas-TAOLA, que teve lugar em Abril deste ano, na ilha do Fogo, o Presidente da Câmara Municipal de S. Filipe, Jorge Nogueira, teria prometido que a problemática da extração de areia na ilha do Fogo estaria resolvido a curto prazo, com a produção de areia mecânica. Ainda nenhuma acção concreta foi anunciada.

A mesma fonte escreve, em tom de desagrado, que “extração de areia no município está sendo feita de forma ilegal e, segundo a última legislação sobre as tartarugas marinhas, a apanha deste inerte constitui um crime, uma vez que perturba a reprodução desta espécie. Estamos a ficar sem praia e Fonte Bila cada vez tem menos areia. Uma das praias mais bonita da África e uma das sete maravilhas do Fogo”.

Recorde-se que a população de tartarugas marinhas “Caretta caretta” de Cabo Verde, é a terceira maior do mundo, sendo apenas ultrapassada pelas populações na Florida (Estados Unidos) e em Omã (Golfo Pérsico).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project