DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Football Leaks: Rui Pinto forneceu todos os códigos secretos à PJ e vai ser libertado 08 Agosto 2020

Rui Pinto é um homem livre desde as 17 horas de sexta-feira, mas mantém-se nas instalações da PJ até este sábado por questões de logística e segurança, revela JN.

Football Leaks: Rui Pinto forneceu todos os códigos secretos à PJ e vai ser libertado

Após meses de colaboração com a Polícia Judiciária (PJ) e os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) do Ministério Público (MP), Rui Pinto já cedeu todos os códigos secretos de acesso aos dispositivos informáticos onde foi guardada a informação pirateada ao longo de anos. Esta foi a razão determinante para a libertação do pirata informático, decidida na sexta-feira pela juíza titular do processo em que é acusado de tentar extorquir a Doyen Sports. O arguido vai poder novamente aceder à Internet e a única restrição à sua liberdade é a obrigação de se apresentar às autoridades uma vez por semana.

Segundo a mesma fonte, Albano Pinto, diretor do DCIAP, confirmou a colaboração de Rui Pinto com a justiça, o que também já tinha sido manifestado por Luís Neves, diretor da PJ, que dera o primeiro passo para o início da colaboração. Este entendimento, aliás, já valeu ao arguido a suspensão provisória de cinco inquéritos.

Mas a procuradora do MP que irá intervir no julgamento marcado para 4 de setembro mostrou-se contra, numa posição divergente da postura assumida pelo dirigente máximo do DCIAP. Alegou que, com a reabertura das fronteiras, agrava-se o perigo de fuga - e o arguido vivia oculto na Hungria. E com o fim da proibição de acesso à Internet, agrava-se o perigo de atividade criminosa.

Defendia, por isso, que o arguido deveria continuar sujeito à medida de coação de obrigação de permanência em habitação (disponibilizada pela PJ) e proibido de aceder à Internet.

Denunciante no Luanda lLeaks

Todavia, a juíza Margarida Alves entendeu ser de dar relevo à colaboração do arguido com a justiça. "Entendemos que a contínua e consistente colaboração do arguido com a Polícia Judiciária, tanto no âmbito dos presentes autos como mais recentemente no âmbito de outras investigações, demonstram a assunção de um sentido crítico relativamente aos factos pelos quais se encontra pronunciado que faz diminuir consideravelmente, em nosso entender, as exigências cautelares que nos presentes autos se vinham impondo", lê-se no despacho a que o JN teve acesso.

É sabido que Rui Pinto tem vindo a assumir-se como colaborador em várias investigações em curso, entre as quais o caso Luanda Leaks, no qual é visada Isabel dos Santos, filha do ex-presidente de Angola.

A juíza confirma que o pirata informático e denunciante procedeu "ao desbloquear dos códigos de acesso de todos os dispositivos eletrónicos que se mantinham inacessíveis" e manifesta "total disponibilidade para continuar a colaborar com a justiça", sendo que "essa mesma colaboração não se esgota na abertura dos referidos dispositivos antes se afigurando essencial para outras investigações que se encontram em curso".

Durante meses, enquanto esteve em prisão preventiva, Rui Pinto não calou a sua revolta. Mas o facto de, progressivamente, ter passado a colaborar com a justiça valeu-lhe agora a liberdade.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project