INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

França: 114 mil manifestam em Paris e província contra e-passe sanitário 17 Julho 2021

As novas medidas de segurança anunciadas pelo presidente francês nesta quinta-feira, 15, levaram os franceses, este sábado, a manifestar a sua oposição, entre outros, ao passe sanitário A iminente generalização do passe sanitário para os encontros de mais de 50 pessoas, para restaurantes ou cafés continua a enfurecer muitos franceses. Além das posições políticas que denunciam o recuo da liberdade pública, a indignação saiu à rua.

França: 114 mil manifestam em Paris e província contra e-passe sanitário

O número, 114 mil, foi confirmado ao final do dia pelo Ministério da Administração Francesa. A capital, Paris, e mais uma dúzia de cidades saíram à rua contra mais medidas restritivas em tempo de Covid. Em Paris, sábado à tarde, quatro ou cinco mil pessoas em três ajuntamentos manifestaram-se contra a vacina, a "ditadura" ou o passe sanitário.

O primeiro desfile partiu do centro de Paris e atravessou o Sena aos gritos de "Liberdade", "Não à ditadura sanitária" ou "Macron, demite-te". À cabeça duns três mil manifestantes estavam figuras da extrema-direita ou da ’esfera complotista’: o ex-número 2 da FN-Frente Nacional Florian Philippot, o presidente do partido Debout la France/De pé, França Nicolas Dupont-Aignan, a deputada ex-LREM Bovidocética Martine Wonner, o cantor Francis Lalanne, a ’colete amarelo’ Jacline Mouraud, segundo o L’Express.

Em simultâneo, umas 1.500 pessoas percorriam as ruas a sul da capital, num cortejo que a polícia abria. Os slogans escritos: "Procura-se (wanted) República Francesa Democracia, desaparecida em 12 de julho de 2021", "não ao passe sanitário, stop à ditadura". Os slogans gritados: "Liberdade", "Macron ditador".

Por fim, o terceiro grupo de manifestantes reuniu-se na place de la République, "numa aglomeração de algumas dezenas, não autorizada".

Do passaporte vacinal ao passe sanitário

Em fins do ano transato eram as petições que circulavam online, como em 26 de novembro o "Não ao Passaporte Vacinal!". Era denunciada «uma ofensiva mediática e política em curso para "impor o passaporte vacinal, com o apoio ativo da União Europeia, recentemente renomeado "Passe Sanitário" por Emmanuel Macron».

O certificado numérico (digital) aprovado pelos 27 membros da União Europeia, e lançado oficialmente no dia 1 do corrente, tem as designações: Certificado Numérico Europeu Covid/Certificat numérique Européen Covid; Certificado Covid Numérico da UE/Certificat COVID numérique de l’UE /EU Digital COVID Certificate.

Quem elogia o passe sanitário

O epidemiologista Antoine Flahault, da universidade de Genebra, é todo favorável ao passe sanitário generalizado por o considerar "tão eficaz como o confinamento".

Entrevistado pelo Le Figaro, o médico especialista compara a situação da evolução da Covid em três países, para concluir que "o aumento da incidência em França acontece dois meses depois do Reino Unido, o que me faz pensar que a França será poupada no verão".

Mas por outro lado, o especialista em doenças epidémicas reconhece que neste momento o Reino Unido está melhor armado para se defender perante a contagiosidade da variante Delta: "Tem 70 por cento de vacinados. A situação da França, com 56%, está mais próxima da de Portugal que tem 60 por cento de vacinados".
— -

Fontes: AFP/L’Express.fr/... Foto (AFP): "Não ao passe sanitário": este e mais slogans escritos e gritados em Paris neste sábado, 17.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project