INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

França: Governo dissolve grupo responsável pelos ataques no país 05 Novembro 2020

O Governo francês dissolveu nesta quarta-feira, 04, em França a organização ultranacionalista turca Lobos Cinzentos, que acusa de incitar ao ódio e à discriminação e de estar por detrás de vários ataques no país.

França: Governo dissolve grupo responsável pelos ataques no país

“O movimento dos Lobos Cinzentos foi dissolvido em conselho de ministros, conforme as instruções do Presidente da República", escreveu o ministro, Gérald Darmanin, na sua conta na rede social Twitter.

Na mensagem, o governante acusa o grupo de "incitar à discriminação e ao ódio" e de estar "implicado em ações violentas".

As autoridades, de acordo com o mundo ao minuto, responsabilizam os Lobos Cinzentos pelos confrontos entre as comunidades turca e arménia perto da cidade de Lyon na quarta-feira da semana passada, no contexto das tensões pelo conflito de Nagorno Karabakh, no qual a Arménia enfrenta o Azerbaijão, aliado de Ancara.

O nome do grupo surgiu também em ’graffitis’ pintados no Centro Nacional da Memória Arménia perto daquela cidade no leste de França, instituição que recorda o genocídio arménio e que foi profanada no passado fim de semana.

O decreto governamental desta quarta recorda que o "movimento paramilitar e ultranacionalista" foi fundado em 1968 na Turquia e está presente em vários países europeus.

Já na segunda-feira o ministro Darmanin tinha avançado com a intenção do Governo de dissolver os Lobos Cinzentos, alegando no parlamento o seu caráter "particularmente agressivo, para não dizer pior".

A dissolução surge na sequência da ofensiva lançada pelas autoridades francesas contra grupos radicais após os atentados das últimas semanas em França.

Um ataque na basílica de Nossa Senhora da Assunção, na cidade de Nice (sudeste) na quinta-feira, causou três mortos, duas semanas após um professor, Samuel Paty, ter sido degolado nos arredores de Paris por um jovem russo-checheno por ter mostrado caricaturas do profeta Maomé numa aula sobre liberdade de expressão.

Duas outras associações de ideologia islamita, Cheikh Yassine e Baraka City, já foram dissolvidas pelo Governo, que diz atuar contra grupos que podem qualificar-se como "inimigos da República".

O executivo pretende fazer o mesmo nos próximos dias com o Coletivo contra a Islamofobia em França.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project