RADAR

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Furacão político atinge o sistema ventoinha? 23 Maio 2021

O início da X Legislatura começou agitado pelas bandas do MpD. A gota de água que fez transbordar o copo tem a ver com o chumbo de Jorge Santos ao posto de Presidente da Assembleia Nacional e do colega Orlando Dias para o cargo de vice-Presidente da mesma instituição. Como apurou o Radar nos corredores do Parlamento e do Palácio da Várzea, o clima está agitado entre os ventoinhas depois de o furacão políico que atingiu o partido no poder e que surgiu com a tempestade de protestos, a nível das redes sociais e da comunicacão social, por parte de Tony Santos, Orlando Dias e Carlos Sá Nogueira. Como prevê um amigo do Radar, tudo indica que o clímax da confusão pode acontecer durante e depois da aprovação da Moção de Confiança e do Programa do novo governo alargado de Ulisses Correia e Silva no parlamento. É que o deputado Orlando Dias já avisou que haverá consequências imprevisíveis, diante da traição de pelo menos 10 colegas, incluindo cinco membros do Governo. Mas vamos esperar para ver e crer, como diz o Tomé! A não ser se Dias não «troka fra ku faze» como se diz no crioulo do Fogo!

Furacão político atinge o sistema ventoinha?

Governo gordo e despesistas

Os mandados de boca estão preocupados com o fato de Cabo Verde ter agora, em tempos de Covid-19 que exige alguma contenção em gastos públicos, o maior governo de sempre: tem 28 membros, maior do que vários países ricos e mais populosos - Suíça (41.285 Km2 /8.508 898 hab – 2018) tem, por exemplo, um governo de 7 membros. O de Cabo Verde é muito maior do que o próprio governo do Estado Federativo dos EUA, composto por 50 Estados, com mais 328,2 milhões (2019) de habitantes e uma superfície de 9.833.517 km2. O governo dos EUA é composto por 17 elementos: 15 departamentos do Estado (ministérios), mais o Presidente e a Vice-Presidente. Ou seja, tem 8 elementos menos em comparação com os 28 de Cabo Verde. Como captou o Radar na Capital cabo-verdiana, as receitas do Estado vão agora ser consumidas sobretudo com as defesas em salários e outras mordomias pelos 28 membros deste novo governo gordo de Ulisses Correia e Silva. Para os olheiros dos cafés e bares da cidade da Praia, que o cidadão comum chupe o limão, depois de ter votado no «caminho seguro»! Nos boka ka sta la!

Ministro do IAPE

Uma novidade que chega ao Radar. O deputado Jorge Santos, que foi presidente da AN e cuja recandidatura ao cargo foi rejeitada por colegas do MpD e do PAICV, já tem um novo cognome: ministro do IAPE (Instituto de Apoio ao Emigrante). Como diz um conterrâneo da Ribeira Grande de Santo Antão que procurou o Radar para dar essa nova, trata-se de uma pasta criada só para Jorge Santos (depois deste ter sido rejeitado como presidente da AN), que se resume à área do ex-IAPE, que foi sucessivamente transformado em Instituto das Comunidades, também extinto, e depois em Ministério das Comunidades, primeiro no Governo de José Maria Neves e agora com o executivo gordo de Ulisses Correia e Silva. Como brinca em gargalha um amigo do Radar, é caso para se dizer que mais vale pouco do que nada! Radar vai continuar atento e a captar tudo com as suas atenas agora reativadas!

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project