DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Gás lacrimogénio causou pânico, massacre em estádio na Indonésia: "Vi as minhas filhas a morrer" 17 Outubro 2022

Foi a atuação da polícia que causou o massacre há duas semanas no estádio indonésio, concluiu a investigação.

Gás lacrimogénio causou pânico, massacre em estádio na Indonésia:

Os adeptos do Arema FC invadiram o campo onde o jogo da primeira-divisão terminou em derrota frente ao Persebaya Surabaya, no sábado à noite. "Tentámos pedir desculpa pela derrota, mas eles nem quiseram ouvir-nos: começaram a atacar-nos", contou à SIC o avançado Abel Issá Camará, um dos três futebolistas portugueses do clube indonésio da ilha de Java.

Mais de 40 mil pessoas lotavam o recinto do ’Stadion Kanjuruhan’ em Malang, Java, quando adeptos do clube anfitrião invadiram o relvado para atacar os jogadores do Arema derrotado por 2-3.

A polícia para os conter atirou gás lacrimogénio. A fugir do estádio, pessoas foram pisoteadas: mais de cem até à morte, 323 ficaram feridas.

O presidente indonésio Joko Widodo (foto ao alto, à d.ta) falou ao país para lamentar a tragédia e anunciou que "durante um ano não haverá jogos

"Vi as minhas filhas e a mãe a morrerem diante dos meus olhos", dsse à BBC o enlutado Devi Athok. morreram num dos piores desastres da históra do futebol.

Fontes: SIC/France Football/BBC/... Relacionado: 448 vítimas, 125 mortes em estádio na Indonésia: "Vi 8, 9 adeptos a morrer no balneário", diz Camará, 03.out.022.Foto: .

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project