AUTÁRQUICAS 2020

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Geringonça na Assembleia Municipal de São Vicente: Dora Pires é eleita presidente e Câmara de Augusto Neves com forte fiscalização 19 Novembro 2020

Está consumada a esperada Geringonça com a coligação dos deputados da oposição na Assembleia Municipal de São Vicente a eleger Dora Pires, da UCID, presidente daquele órgão deliberativo máximo a nível do poder local. Com o chumbo da lista do MpD encabeçada por Lídia Lima, o executivo de maioria relativa de Augusto Neves está agora sob forte fiscalização da nova maioria parlamentar, conforme a vontade expressa nas urnas no dia 25 de outubro pelo povo de São Vicente.

Geringonça na Assembleia Municipal de São Vicente: Dora Pires é eleita presidente e Câmara de Augusto Neves com forte fiscalização

Depois de o impasse que durou dois dias, a Assembleia Municipal (AM) de São vicente acaba da eleger a sua nova Mesa por 11 votos sim e uma abstenção, de um total de 21 eleitos municipais presentes. A nova presidente eleita é Dora Pires, da UCID, que é também deputada Nacional do mesmo partido. No lugar de vice-presidente ficou Albertino Gonçalves, do Movimento Mas Soncente. Já o PAICV ficou com a função de secretária, através da eleita Dirce Vera—Cruz.

A lista-A liderada por Lídia Lima foi, depois de ontem, chumbada pela segunda vez, obtendo apenas os 9 votos que constituem a bancada municipal do MpD. Ou seja, de nada serviram os discursos de alegado «golpe na secretaria» contra vontades manifestadas nas urnas ou de «eleitos assaltantes» como disse, na ocasião, Lídia Lima como presidente da Mesa provisória da AM.

Face a esse arranjo político, resultante da coligação da oposição (UCID, PAICV, Mas Soncent), está assim consumada a esperada Geringonça a nível da Assembleia Municipal de São Vicente. Com isso, Mindelo testa pela primeira vez este modelo organizacional em Cabo Verde, reforçando o seu papel de funcionar como um espécie de laboratório político nacional.

Para observadores atentos, com o chumbo da lista do MpD encabeçada por Lídia Lima, o executivo de maioria relativa de Augusto Neves está agora sob controlo da nova maioria parlamentar, conforme a vontade expressa nas urnas no dia 25 pelo povo de São Vicente. «Acabou a ditadura da maioria com a qual Augusto Neves vinha governando Mindelo, sem dar cavaco a ninguém. Agora tem de negociar tudo com a maioria parlamentar – UCID com 3 vereadores e PAICV com 2 vereadores – para que possa fazer passar na Assembleia Municipal os principais instrumentos de gestão – Orçamento e Plano de Atividades da Câmara», observou a fonte deste jornal no Mindelo.

O cenário de eleições antecipadas não está descartado, segundo analistas locais. Questionado sobre este particular, um dirigente de umas das forças da oposição desencoraja tal hipótese, ao avisar que a maioria parlamentar vai apoiar o funcionamento normal da Câmara, desde que sejam respeitados em primeiro lugar a vontade e os interesses da população de São Vicente.

Já o Edil Augusto Neves deixou entender, no seu discurso de tomada de posse hoje, que está preparado para novas eleições.

De recordar que, no tempo de Onésimo Silveira, a Assembleia Muncipal suportada pelo Movimento para o Renascimento de São Vicente elegeu António almeida Fortes, do PAICV, como presidente daquele órgão autárquico - siginfica que há uma tradição democrática local sem drama.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project