ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Governo ambiciona viabilizar conectividade em África 23 Outubro 2022

O ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, asseverou este sábado que o Governo ambiciona viabilizar a conectividade em África, o que deverá passar por uma aliança entre as companhias, para que se possa ganhar o mercado da CEDEAO

Governo ambiciona viabilizar conectividade em África

Carlos Santos manifestou essa pretensão durante uma conferência subordinada ao tema “O mercado turístico da CEDEAO na qual foi um dos oradores, contando com a participação também do ministro do Turismo da Costa do Marfim, Siandou Fofana, que é também presidente da Organização Mundial do Turismo (OMT), e do presidente da Câmara do Turismo, Jorge Spencer Lima.

A conferência decorreu no âmbito da VIII Feira do Turismo e Artesanato (Expotur), considerado um espaço privilegiado de negócios, que arrancou esta sexta-feira, na ilha do Sal, sob o lema “Cabo Verde e a sua diversidade”, devendo terminar no domingo, 23.

Referindo que África, apesar de todas as suas potencialidades só recebe cinco por cento (%) daquilo que é a movimentação do turismo mundial, tendo isso em linha de conta, o governante entende que há que fazer algo para melhorar estes números, nos próximos sete anos, pelo menos até 2030.

Olhando para o tema da conferência, Carlos Santos admitiu que a questão da conectividade é a “questão basilar” para que se possa falar deste mercado da CEDEAO, estando igualmente a falar, conforme sublinhou, na hipótese de se conseguir criar um destino regional do turismo de cruzeiro.

“Aliás, estamos também a desenvolver contactos com a Air Senegal, muito brevemente com a Côte D’Ivoire, para vermos como é que poderemos viabilizar a conectividade entre esses países”, precisou, apontando que, provavelmente, isso passaria por uma aliança entre as companhias.

“Cabo Verde tem dado passos interessantes neste segmento, mas se conseguirmos ganhar escala, juntar a Cabo Verde outros destinos, temos a possibilidade de criar aqui um destino regional… e ganhando escala, nós teremos maior competitividade e poderemos atrair melhor, esse turismo noutras partes do mundo”, prognosticou.

Pretendendo o Governo um turismo sustentável e inclusivo, o ministro aproveitou a ocasião e falou sobre o “ambicioso”, Programa Operacional do Turismo (POT) que comporta um conjunto de mais de 300 iniciativas e orçamentado em mais de 200 milhões de euros, para ser aplicado entre 2022 e 2026.

“Com esse objectivo de diversificar, ganhar competitividade e de levar com que os efeitos positivos do turismo sejam cada vez mais intensos junto das empresas nacionais e das famílias cabo-verdianas”, clarificou o governante.

Esmiuçando um pouco esta visão e a importância da implementação do POT, Carlos Santos reiterou que não se pode olhar para o turismo se se não tiver um turismo amigo das populações, daquele que acolhe o turista, anunciando ao mesmo tempo que no início do mês de Novembro, o Governo irá lançar o programa de sustentabilidade do turismo nas ilhas do Sal e Boa Vista.

“Procurando criar um ambiente de ilhas verdes, ou seja, ilhas amigas do ambiente, mas também, que sejam ilhas que olhem para a parte social, porque só assim é que poderemos ter um desenvolvimento equilibrado, nos próximos anos, em parceria com o sector privado”, comentou.

O titular da pasta do Turismo e Transportes concluiu desejando a todos uma boa feira, reiterando que a diversificação do mercado passará por este tipo de intervenções e alianças.

“E se houver um alinhamento naquilo que é a estratégia do desenvolvimento do turismo nestes países, poderemos ir longe, não só para criar esse mercado, mas também, com uma voz única dentro da Organização Mundial do Turismo”, completou. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project