ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

“Governo recusa-se a prestar informação sobre os negócios celebrados pelo Estado com a empresa de deputado do MpD” – PAICV 21 Maio 2020

O secretário-geral do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Julião Varela, disse hoje que o Governo se recusa a prestar informação sobre os negócios celebrados pelo Estado com a empresa do deputado Miguel Monteiro.

“Governo recusa-se a prestar informação sobre os negócios celebrados pelo Estado com a empresa de deputado do MpD” – PAICV

Em conferência de imprensa na Cidade da Praia, Julião Varela observou que “o mais estranho” é que quem responde à carta do PAICV é o director do gabinete do vice-primeiro-ministro e sem mencionar a incumbência superior.

“De todas as informações solicitadas nenhuma foi facultada, dizendo que o PAICV deve perguntar directamente às entidades, quando quem responde politicamente perante o parlamento e os deputados da Nação é o Governo”, esclareceu.

Perante essa recusa, segundo o secretário-geral do maior partido da oposição, questiona-se o que Governo está a esconder, por que razão o vice-primeiro-ministro não responde ao PAICV e o que leva o Governo a não divulgar informações sobre os negócios feitos pelo Estado com a empresa de Miguel Monteiro, deputado do MpD, partido que suporta o Governo.

“O que leva o vice-primeiro-ministro a acovardar-se e escudar-se no seu director de gabinete “, questionou Julião Varela, lembrando que as denúncias “foram confirmadas” pelo próprio deputado Miguel Monteiro.

No entanto, disse não entender a intenção de Miguel Monteiro apresentar uma queixa-crime contra o PAICV quando o próprio deputado confirmou as denúncias, assumindo que é sócio da empresa IT Solucions e que ele e a esposa detêm, conjuntamente, 38 por cento (%) do capital social da empresa.

Não obstante essas recusas, o PAICV, conforme o também deputado da Nação, promete continuar a “trabalhar afincadamente para a transparência e o rigor na gestão da coisa pública”.

“Se o dinheiro é público a sua gestão não pode ser confidencial. Se o dinheiro é do povo uns não podem ser beneficiados em detrimento dos outros “, concluiu.

No passado dia 13, o PAICV, na voz do membro da Comissão Politica Nacional, Fidel Cardoso de Pina, acusou deputado do MpD (poder) Miguel Monteiro de usar a sua influência política para o fornecimento de prestação de serviços da sua empresa IT Solucions.

Durante uma conferência de imprensa, na Cidade da Praia, Fidel Cardoso de Pina disse que esta denúncia foi feita por uma empresária nacional na sua página de Facebook, com “acusações sérias” e com “provas concretas” contra o deputado da Nação, que também desempenha a função de secretário da Mesa e membro do conselho de administração da Assembleia Nacional.

Essas acusações veriam a ser refutadas pelo deputado Miguel Monteiro, que prometeu apresentar queixas-crime na Procuradoria da República contra o PAICV e um jornal online, por “tentativa de assassinato de carácter e de condicionamento” da actividade empresarial. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project