REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Guerra Rússia/Ucrânia: G7 compromete-se a apoiar a Ucrânia "durante o tempo que for necessário" 11 Outubro 2022

Os membros do G7 comprometeram-se, esta terça-feira, a apoiar a Ucrânia "durante o tempo que for necessário", na sequência da guerra com a Rússia. Em causa está uma posição que surge na sequência da reunião entre os líderes deste grupo e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Guerra Rússia/Ucrânia: G7 compromete-se a apoiar a Ucrânia

Segundo NM que cita o rascunho [primeira versão] de uma declaração a que a Bloomberg teve acesso, os líderes do G7 prometeram continuar a fornecer apoio financeiro, humanitário, militar, diplomático e jurídico à Ucrânia.

Um apoio que, prosseguia a declaração, manter-se-á "firme e inabalável", de forma a ajudar a Ucrânia a "defender a sua soberania e integridade territorial".

Os líderes dos Estados Unidos, Alemanha, Japão, França, Itália, Canadá e Reino Unido comprometeram-se ainda a "impor mais custos económicos à Rússia" e a "coordenar esforços para satisfazer as necessidades urgentes da Ucrânia em termos de equipamento militar e de defesa".

No mesmo documento, acedido pela Bloomberg, surge ainda uma clara mensagem de condenação das "deliberadas medidas de escalada da Rússia", com o G7 a considerar que as táticas usadas por Moscovo estão a "pôr em risco a paz e a segurança europeia e mundial".

Na declaração, estes líderes mundiais revelaram-se ainda "profundamente perturbados" pelo que consideraram ser os "danos deliberados" no mês passado aos gasodutos Nord Stream, no Mar Báltico, que transportam gás russo para a costa norte da Alemanha.

Segundo a mesma fonte, o encontro de hoje foi agendado depois de, na segunda-feira, as tropas russas terem levado a cabo uma sequência de ataques aéreos sobre 20 cidades ucranianas, que resultaram na morte de, pelo menos, 19 pessoas. Mais de 100 ficaram, por sua vez, feridas.

A guerra na Ucrânia, que teve início a 24 de fevereiro, provocou já, segundo os cálculos da Organização das Nações Unidas (ONU), 6.114 civis mortos e 9.132 feridos desde o início da guerra, apesar desta entidade alertar que estes números ficam bastante abaixo dos reais. Foto © Getty

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project