LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Guiné-Bissau/Eleições: Convivência entre PAI-Terra Ranka e Madem G-15 no bairro de Cupelão “é muito pacífica"– apoiantes 25 Maio 2023

A campanha eleitoral na Guiné-Bissau tem sido marcada por troca de farpas entre os líderes políticos, mas no bairro de Cupelão a convivência entre os militantes dos dois principais partidos “é pacífica", disseram à Lusa os apoiantes.

Guiné-Bissau/Eleições: Convivência entre PAI-Terra Ranka e Madem G-15 no bairro de Cupelão “é muito pacífica

Inácio Simão Pinto, militante do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que lidera a coligação eleitoral Plataforma Aliança Inclusiva (PAI) - Terra Ranka, e Yero Baldé, do Movimento para Alternância Democrática (Madem-G15), estavam, cada um, a preparar o material de campanha na sua sede sem se preocupar que o adversário esteja mesmo ali ao lado.

A sede de campanha dos dois grupos que tentam vencer as legislativas de 04 de junho próximo, é separada apenas por cerca de cinco metros de estrada que é atravessada de vez em quando pelos militantes, de um lado para o outro.

Simão Pinto admite que até se sentam na mesma mesa num bar que vende comida e bebida.

A convivência é de “cordialidade e de amizade” ao ponto de os dois grupos partilharem “sem problemas” na mesma casa as paredes externas com cartazes do Madem-G15 e da PAI - Terra Ranka, observou Yero Baldé.

Durante a campanha eleitoral na Guiné-Bissau os partidos exibem “força aparente” pela quantidade de sedes, cartazes e bandeiras que conseguem apresentar nas ruas, bairros e cidades do país.

Simão Pinto disse que até foi a coligação PAI – Terra Ranka a alugar uma casa em Cupelão para abrir sede de campanha e que dias depois o Madem-G15 apareceu por lá para se instalar ali ao lado, mas até aqui sem incidentes.

“Nós, como partido grande, partido democrático, não precisamos de nenhuma confusão. Deixamos à vontade, porque somos todos guineenses. Tratamo-nos como guineenses, até nos cumprimentamos, brincamos, fazemos tudo o que é bom”, observou Simão Pinto.

Equipado a rigor, isto é, de t-shirt e boné do PAIGC, Pinto só lamenta que os elementos do Madem-G15 estejam com a música de campanha sempre alta, o que, disse, às vezes dificulta as reuniões na sede do PAI – Terra Ranka.

O bairro de Cupelão é conhecido por ser um dos lugares de Bissau de convivência pacífica entre membros de todas as etnias e religiões, um facto realçado por Yero Baldé para justificar o ambiente de tranquilidade que caracteriza a vizinhança entre os dois grupos partidários.

A orquestra Super Mama Djombo, uma das principais bandas musicais guineenses, tem uma célebre música sobre a heterogeneidade de Cupelão um facto que Yero Baldé disse servir também para justificar a “forma pacífica" como decorre a atual campanha eleitoral.

“Não há nenhum problema. Isto é Cupelão. Conhecemos Cupelão como um bairro berço da democracia desde 1994 quando foram realizadas as primeiras eleições democráticas na Guiné-Bissau, Cupelão sempre foi um bairro que dá exemplo. É por isso que pode ver o Madem e PAIGC no mesmo sítio”, defendeu Baldé.

Vestido com uma t-shirt do Madem-G15, que aliás passa a ser a “farda” oficial dos apoiantes que ocupam as sedes de campanha, Yero Baldé considerou que não pode haver incidentes porque os militantes de ambos os grupos “são pessoas maduras” que sabem que a política “não é através do ódio, mas sim a festa de democracia”.

As caixas de som nas duas sedes debitam música, os carros com bandeiras estão prontos para continuar a espalhar boa convivência em Cupelão, logo que os dirigentes assim ordenarem que é preciso angariar maior número de eleitores até ao dia 02 de junho, quando termina a campanha eleitoral.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project