LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Guiné-Bissau: Sessão no Parlamento "não passa de farsa democrática" 28 Junho 2020

Sessão na Assembleia Nacional Popular que deverá determinar quem tem a maioria gera polémica: PAIGC demarca-se, apontando um ambiente de terror, analista fala em coação e jovens pedem responsabilidade aos deputados.

Guiné-Bissau: Sessão no Parlamento

É uma reunião aguardada com muita expectativa em Bissau, em plena crise política: a sessão ordinária do Parlamento, que deverá ter início esta segunda-feira (29.06), poderá determinar de que lado está a maioria dos deputados. Se do lado do PAIGC, vencedor das últimas legislativas, ou do lado dos partidos que atualmente governam o país – que se opõem à devolução da governação ao PAIGC, recomendada pela CEDEAO, alegando ter a maioria parlamentar para governar.

Mesmo antes de arrancar, a sessão já se adivinha tensa: numa carta enviada na sexta-feira (26.06) ao presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), Cipriano Cassamá, o grupo parlamentar do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde afirma que procedeu "a uma profunda análise da situação política vigente no país" e conclui que "está posta em causa a realização da sessão ordinária cujo início está marcado para 29 de junho".

O analista político Rui Landim vai mais longe: "A tal sessão de que se fala na segunda-feira não passa de uma farsa democrática", afirma. "Não há expressão de liberdade de deputados e dos atores políticos com a sua convicção, é a ausência da mais elementar liberdade, porque já se conseguiu, através de coação física e mental, através da ameaça da morte e a fazer com que apareça uma farsa de que os deputados suportaram a favor".

Geberkonferenz von Guinea-Bissau in Brüssel Domingos Simoes Pereira
Domingos Simões Pereira

Depois da missiva do PAIGC ao líder do Parlamento, resta esperar uma comunicação oficial do partido liderado por Domingos Simões Pereira, para saber se o grupo parlamentar vai ou não tomar parte na sessão da Assembleia Nacional Popular. Se não for, e se a maioria estiver do seu lado, não haverá sessão, porque faltarão alguns elementos para haver quórum e consequente início dos trabalhos.

Tensão e incerteza

"É verdade que se pode esperar da próxima sessão parlamentar muita tensão, pelo desenho que estamos a ver", considera Seco Duarte Nhaga, o Presidente da Rede Nacional das Associações Juvenis (RENAJ. Perante este incerteza, o líder juvenil pede mais responsabilidade aos deputados guineenses: "Nós, enquanto organizações da juventude, estamos a apelar aos atores políticos, sobretudo aos deputados, que sejam capazes de ter a maturidade política suficiente, para ajudarem o país a sair deste imbróglio".

Sem entendimento entre os partidos e esgotados os prazos dados pela CEDEAO e pelo Presidente Umaro Sissoco Embaló para formar um Executivo, os olhos estão postos no Parlamento dividido em dois blocos que reivindicam a maioria parlamentar. O chefe de Estado guineense já admitiu a possibilidade de dissolver o Parlamento, aguardando, para já, os resultados da sessão plenária.

Guinea-Bissau Neuer Präsident Umaro Sissoco Embalo
Umaro Sissoco Embaló

Um universitário ouvido pela DW em Bissau também espera conclusões: "Acho que os deputados devem trabalhar para o avanço do país. A Guiné-Bissau não pode ficar assim, todos os deputados devem trabalhar. Eu acho que essa sessão (parlamentar) deve trazer alegria ao povo guineense", afirma.

Para o analista Rui Landim, "a saída é a única, a reposição da ordem constitucional".

"O Governo que ganhou as eleições deve retomar e aguardar-se depois a resolução do contencioso eleitoral [das presidenciais]", considera. "Quando tudo isto for resolvido, vamos avançar. Mas há um princípio constitucional de que o Governo surge como resultado das eleições legislativas e o partido mais votado é convidado a formar o Governo". C/DW África

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project