REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

’Hiroxima 74 anos’ pede um minuto de silêncio... 07 Agosto 2019

’Hiroxima 74 anos’ pede um minuto de silêncio...

Seis de agosto de 1945, eram oito horas na cidade de Hiroxima — menos 11 H em Cabo Verde, onde como cantou B. Lèza se sofria com a incerteza quanto à vitória dos Aliados — caía a primeira bomba atómica.

O Japão, potência asiática, entrara na Segunda Guerra Mundial com um ataque, em 7 de Fevereiro de 1941, aos americanos, que anos depois poriam fim à guerra com os bombardeamentos de Hiroxima, dia 6, e Nagasáqui, dia 9, em agosto de 1945. Cento e quarenta mil pessoas morreram em Hiroxima, setenta mil em Nagasáqui.

’Hiroxima 74 anos’ pede desnuclearização

A cerimónia do septuagésimo-quarto aniversário de Hiroxima — a maior destruição em massa que o país do sol nascente sofreu — está a ser marcada por várias manifestações que pedem o fim das armas de destruição maciça.

Fontes: Kyodo News/The Associated Press. Foto: A Cúpula da Bomba Atómica —agora Memorial da Paz — foi a única edificação que ficou de pé na área onde a bomba atómica explodiu na manhã de 6 de “agosto” de 1945.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project