INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Homicídio de Floyd: Polícia sai sob fiança e é confrontado na loja 22 Junho 2020

Emocionou a indignação da dona da loja onde entrou o agente Alexander Kueng no final da sexta-feira, 19, o mesmo dia em que foi libertado após pagar fiança de 750 mil dólares. Ela perguntou-lhe o que sentia por não ter ajudado o George Floyd e avisou-o que ia gravar a sua resposta.

Homicídio de Floyd: Polícia sai sob fiança e é confrontado na loja

O segundo agente da polícia a sair sob fiança de setecentos e cinquenta mil dólares deixou crescer a barba, tinha um boné que quase lhe tapava o rosto todo, mas foi reconhecido pela dona da loja.

Primeiro, ela avisou-o que o ia filmar. E depois surgiram as perguntas em catadupa, enquanto o polícia começava a ver-se cercado pelas pessoas que começaram a aproximar-se.

O que é que sentia por não ter ajudado Floyd, quando ele lhe pediu socorro. Como é que pôde pagar a fiança de um montante tão elevado num salário de polícia. Se acredita que ninguém o iria reconhecer, mesmo de barba grande e rosto quase tapado.

E, por fim, se acha que ela lhe permitiria entrar na sua loja. O vídeo está online no You Tube e outras redes.

Morte por asfixia: Chauvin põe o joelho, 2 seguram George e 4º observa

Enquanto Derek Chauvin asfixiava Floyd até à morte, os seus colegas ignoravam os pedidos de ajuda que vinham primeiro da vítima e depois de todos os que assistiam horrorizados.

A inusitada onda de protestos pode ter mudado o curso dos eventos, em direção à justiça. Depois de uma primeira autópsia que concluía não ter havido "asfixia" na morte de George Floyd — um primeiro passo na descriminalização dessa morte —, as autoridades tiveram de fazer uma segunda autópsia com conclusão oposta.

Os familiares de Floyd puderam então ver o responsável, o agente da polícia de Minneapolis, Derek Chauvin, de 44 anos, a responder criminalmente de acordo com essa nova informação médico-legal.

Sucessivamente os outros três agentes foram detidos: Thomas Kiernan Lane, de 37 anos, Tou Nmn Thao, de 34 anos, e J. Alexander Kueng, de 26 anos.

A todos, exceto Chauvin, foi fixada fiança de 750 mil dólares. O primeiro a sair foi Lane. Seguiu-se Kueng.
— -
Fontes: Referidas/Washington Post/ N Y Times/ USA Today/. Fotos de três dos quatro polícias envolvidos, contados a partir da esquerda: Tou Nmn Thao, de 34 anos, J. Alexander Kueng, de 26 anos, e Chauvin, de 44 anos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project