INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Hospital ucraniano falsificou fichas de bebés para os salvar dos russos 06 Dezembro 2022

Horas depois de a Rússia ter invadido a Ucrânia, em fevereiro, os profissionais de saúde de um hospital infantil da cidade de Kherson começaram a delinear, secretamente, um plano para salvar os bebés órfãos que ali estavam internados.

Hospital ucraniano falsificou fichas de bebés para os salvar dos russos

Conta a Associated Press (AP), citado pelo Notícias ao Minuto (NM) que, já na altura, se ouvia falar que os russos raptavam crianças órfãs na Ucrânia para as enviar para a Rússia. Por isso, os médicos da unidade hospitalar em questão decidiram alterar os registos médicos dos bebés ali internados para parecerem mais doentes do que realmente estavam.

"Escrevemos, deliberadamente, informações falsas para eles acharem que as crianças estavam doentes e não podiam ser transportadas", admitiu a Dra. Olga Pilyarska, chefe da unidade de Cuidados Intensivos, em entrevista à AP, acrescentando que, apesar de terem "medo" que os russos descobrissem tinham de salvar as crianças "a qualquer custo", escreve a nossa fonte.

Sabe-se ainda que ao todo, a equipa médica conseguiu evitar que 11 bebés abandonados fossem transferidos para orfanatos, onde iriam receber documentos russos para saírem do país. Nos registos falsos constavam "sangramentos pulmonares", "convulsões incontroláveis" e "ventilações artificias".

A mesma fonte noticia nos arredores de Kherson, na vila de Stepanivka, Volodymyr Sahaidak, diretor de um centro de reabilitação social, admite que também falsificou documentos para salvar 52 crianças órfãs e vulneráveis. Sete passaram por filhos dos funcionários. As restantes foram para casas de familiares.

Mas, nem todas as crianças tiveram a mesma sorte. De acordo com as autoridades locais, os russos estão a enviar crianças ucranianas para a Rússia ou para territórios controlados pelos russos "para criá-las como se fossem suas". “Pelo menos, mil crianças terão sido raptadas de escolas e orfanatos na região de Kherson durante os meses de ocupação russa. O paradeiro delas continua a ser desconhecido. Só num orfanato de Kherson cerca de 50 foram levadas em outubro para a Crimeia, território que a Rússia anexou ilegalmente em 2014”, escreve o NM.

Uma história feliz no meio da batalha

“Para alguns, as suspeitas de raptos de crianças trouxe resultados inesperados. Em outubro, perante os sinais de recuo por parte da Rússia, Tetiana Pavelko, enfermeira do hospital infantil que acima se fala, temeu que os russos levassem os bebés órfãos com eles. Por isso, a mulher de 43 anos decidiu adotar uma das meninas que ali estava”, anuncia o NM.

Conforme a fonte que vimos citando, a bebé, de 10 meses, chama-se agora Kira, em homenagem a uma mártir cristã que, contou Tetiana Pavelko à AP, "ajudou as pessoas, curou e realizou muitos milagres".

Rússia nega acusações

No início do ano, a AP já tinha revelado que a Rússia estava a raptar crianças ucranianas e a entregá-las a famílias russas. De acordo com esta agência de notícias, não se tratam só de crianças órfãs. Muitas estão a ser levadas sem consentimento e é-lhes dito que não são desejadas pelos pais.

De acordo com o Instituto para o Estudo da Guerra, com sede em Washington, nos EUA, citado pelo NM, as autoridades russas estão a tentar despovoar partes da Ucrânia e a deportar crianças sob o pretexto de esquemas de reabilitação médica e programas de adoção. “O ministério das Relações Exteriores da Rússia nega qualquer uma destas alegações e garante que está apenas a proteger estas crianças das hostilidades", escreve.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project