ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Hotéis cabo-verdianos do grupo RIU com lotação quase esgotada na passagem de ano 29 Dezembro 2022

Os seis hotéis em Cabo Verde da marca RIU, o maior empregador privado do arquipélago, contam com lotação praticamente esgotada para o período da passagem de ano, segundo dados avançados à Lusa pelo grupo espanhol.

Hotéis cabo-verdianos do grupo RIU com lotação quase esgotada na passagem de ano

De acordo com fonte do grupo RIU, os três hotéis na ilha do Sal, a mais turística de Cabo Verde, contam com uma taxa de ocupação de 98% para o período de 30 de dezembro a 01 de janeiro e de 99% na noite de passagem de ano.

Já na ilha da Boa Vista, onde o grupo opera outros três hotéis, a taxa de ocupação para o período de 30 de dezembro a 01 de janeiro é de 73%.

Estes números traduzem-se numa taxa de ocupação global em Cabo Verde, nos hotéis RIU, de 84% no período de 30 de dezembro a 01 de janeiro.

O grupo espanhol conta, na ilha do Sal, com as unidades RIU Cabo Verde, RIU Funana e RIU Palace Santa Maria, e na ilha da Boa Vista com o RIU Karamboa – reinugurado em novembro após um investimento de 48 milhões de euros -, RIU Palace Boa Vista e RIU Touareg, somando uma oferta que ascende a 4.479 quartos, todos já com a atividade totalmente recuperada há mais de um ano, após a suspensão provocada pela pandemia de covid-19.

O presidente do conselho de administração do RIU Hotels & Resorts, Luis Riu, reafirmou em novembro a aposta em Cabo Verde, destino onde começou a investir há 20 anos e também onde é atualmente o principal empregador do país.

"Há 20 anos Cabo Verde era um compromisso pessoal, hoje é um grande destino internacional com caráter e força próprios", afirmou Riu, numa mensagem publicada no portal eletrónico do grupo, em que destaca que Cabo Verde é o preferido dos seus clientes europeus no inverno, recebendo anualmente 300 mil turistas.

Luis Riu descreveu as ilhas do Sal e da Boa Vista como "dois paraísos" onde se destacam o bom tempo, a simpatia extrema das suas gentes e a desconexão.

Acrescentou que Cabo Verde "depende inteiramente de operações ‘charter’" do Reino Unido, Holanda, Noruega, Alemanha e Bélgica.

Após a primeira abertura em 2005, a empresa hoteleira manteve a aposta no destino onde tem seis estabelecimentos, o último dos quais, o RIU Palace Santa Maria, inaugurado em março de 2021, com 1.001 quartos.

Uma resolução do Conselho de Ministros cabo-verdiano de 28 de outubro, consultada em 02 de novembro pela agência Lusa, refere que o grupo hoteleiro Riu investiu 48 milhões de euros na modernização de um dos ‘resorts’ que opera na ilha da Boa Vista e estima já ter investido em hotéis em Cabo Verde 450 milhões de euros.

De acordo com a resolução, o investimento total do grupo RIU em Cabo Verde cifrou-se até 2021 em 50 mil milhões de escudos (451 milhões de euros), com a criação de 2.345 postos de trabalho e a contribuição em impostos pagos de 2010 a 2020 de quase 11.200 milhões de escudos (101 milhões de euros) e 1.200 milhões de escudos (10,8 milhões de euros) de contribuições para a segurança social no mesmo período, o que levou agora o Governo a aumentar de 50% para 60% a percentagem do direito a crédito fiscal ao investimento no Karamboa, por dedução à coleta de IRPC.

O RIU Hotels & Resorts teve origem em Maiorca, Espanha, em 1953, como um pequeno negócio da família Riu, fundadora e atual proprietária do grupo, que conta com 100 hotéis em 20 países, os quais receberam em 2020 cerca de 2,3 milhões de clientes, empregando mais de 24.400 trabalhadores.

Cabo Verde recebeu um recorde de 819 mil turistas em 2019, setor que representa 25% do Produto Interno Bruto e do emprego no arquipélago. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project