MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Humanos em quarentena, macacos tomam cidade, comem junk 03 Julho 2020

A cidade antiga, que em tempos normais é uma atração turística com os seus macacos, ficou deserta de pessoas. Os símios então "tomaram o controlo" do espaço urbano. Sem as bananas dos turistas, tornados os seus principais provedores de comida apropriada — vegetariana e doce —, os primatas passaram a alimentar-se de junk food, à qual é atribuída a "súbita reprodução indiscriminada" da espécie.

Humanos em quarentena, macacos tomam cidade, comem junk

A pandemia do coronavírus transformou a forma como vivemos, alterada para "um novo normal". Mas em Lopburi, no centro da Tailândia, os efeitos pesaram de um modo particular sobre os moradores.

A 150 quilómetros de Bangkok/Banguecoque, Lopburi é uma cidade que em tempos normais tem nos turistas a sua principal fonte de rendimento para os cerca de 30 mil moradores. Isto graças aos seus monumentos antigos, alguns deles milenares, onde é notável a presença dos macacos — por si só uma atração turística.

Mas desde março Lopburi ficou deserta de pessoas, confinadas em casa. Os símios então "tomaram o controlo" da cidade.

Deixados a si próprios, sem a comida própria — bananas, amendoins e outros vegetais doces —. os primatas passaram a alimentar-se da fast food, também designada junk food, que vão encontrando nas suas incursões às lojas fechadas. Uma mudança de regime alimentar, à qual é atribuída a súbita reprodução indiscriminada da espécie.

O aumento do número de macacos foi mais uma razão para muitos moradores prolongarem o confinamento. É que além de ocuparem diversos espaços urbanos, destruindo-os, gangs rivais de macacos brigam com frequência e há até zonas onde os humanos não podem ir.

Esterilização

Acredita-se que a alimentação fast food — que usa uma panóplia de ativadores de sabor e aroma, conservantes e outros ingredientes potenciadores de efeitos ainda mal conhecidos — é o principal factor na mudança comportamental dos macacos de Lopburi.

Primeiro, a inabitual agressividade que passou a marcar as interações entre eles. Em seguida, a súbita reprodução.

Os famosos macacos de Lopburi em pouco tempo duplicaram e são agora seis mil.

Este mês as autoridades decidiram, por isso, controlar a população simiesca através de uma campanha de esterilização. Mas... será que chega para controlar os efeitos do gosto da fast-junk food, que cria habituação?

Fontes: BBC/ Gulf News. Fotos (AFP): Templo Budista de Prang Sam Yod é habitat de símios.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project