NÔS TRADISON

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

IPC prevê entregar este ano dossiê de candidatura da tabanca a património mundial 05 Janeiro 2023

O Instituto de Património Cultural (IPC) prevê entregar nas Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), no primeiro semestre deste ano, o dossiê de candidatura da tabanca património mundial, anunciou na terça-feira, 03, Jair Fernandes.

IPC prevê entregar este ano dossiê de candidatura da tabanca a património mundial

O presidente do Instituto do Património Cultural (IPC) avançou à Inforpress que este ano será oportuno para dar continuidade a projectos como o dossiê de candidatura da tabanca património mundial pela Unesco, que “já está praticamente consolidada”, e a implementação do Plano de Salvaguarda da Morna Património da Humanidade.

“Iremos nesta fase final do processo apenas trabalhar com os grupos de tabancas na recolha de depoimentos em formato vídeo e áudio para podermos montar este dossiê, cuja entrega está prevista para o segundo semestre deste ano”, asseverou aquele responsável.

Outro projeto, que conforme reconheceu, tem sido muito questionado, é a implementação do plano de salvaguarda da morna, classificada em 2019 Património da Humanidade, tendo lamentado a chegada da pandemia da Covid-19, três meses após esta distinção, que “obrigou” o IPC a adiar a implementação desse plano de salvaguarda.

No entanto, Jair Fernandes reafirmou que para este ano já há um montante destinado, no quadro do Orçamento do Estado, que ronda os 2500 contos, e que o instituto irá iniciar a execução deste plano este ano com as escolas e ONG, ressalvando a necessidade da montagem do gabinete técnico no IPC.

Mas, afirmou, o IPC já mobilizou outros fundos, com luz verde por parte da Unesco, sobretudo, pelo que o valor mencionado poderá duplicar e reforçar então a verba destinadas a implementação do Plano de Salvaguarda da Morna.

“Há outros dossiês que serão trabalhados no seu devido momento, outros projetos de candidatura e internacionalização do património em Cabo Verde, mas este ano iremos concentrar basicamente nestas frentes, que é a atualização do inventário de património, a regulamentação da legislação nacional, a montagem do Gabinete de Educação Patrimonial e tentar consolidar o corpo técnico do IPC”, enumerou Jair Fernandes.

Por outro lado, ao referir-se aos projetos identificados e financiados pelo Banco Mundial, a mesma fonte mencionou 200 mil dólares para a segunda fase do Museu do Mar, em São Vicente, que já está garantido, e 300 mil dólares para reabilitação do Ponto de Canal, em Santo Antão.

Incluiu ainda mais 200 mil dólares para a edificação do centro Interpretativo das salinas de Pedra de Lume, sublinhando que são projetos faseados no tempo com duração temporal até 2026. “Porque naturalmente não terminarão este ano, salvo o Plano de Salvaguarda da Cidade Velha e o apetrechamento museográfico do Museu do Mar”, reforçou.

“Ainda este ano serão entregues aos cabo-verdianos mais dois ou três grandes produtos, o Museu da Arqueologia Subaquática da ilha da Boa Vista, cuja a entrega está prevista ainda para este primeiro trimestre, assim como a musealização do Forte Duque de Bragança no ilhéu de Santa Isabel,na ilha da Boa Vista”, anunciou o presidente do IPC.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project