DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ilha do Sal: 60 atletas disputam Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf 18 Mar�o 2022

A praia de Ponta Preta, no Sal, recebe a partir de hoje e durante dez dias, o Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf, com participação de 60 atletas da modalidade, contando também atletas de Marrocos e Senegal.

Ilha do Sal: 60 atletas disputam Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf

A cerimónia de abertura do “Open Ponta Preta 2022”, aconteceu no final da tarde desta quinta-feira no Danfiort Beach Bar- Hotel Odjo D’água, e foi presidida pelo ministro do Desporto, Carlos Monteiro.

O evento promovido pela Federação Cabo-verdiana de Surf e o Instituto do Desporto e da Juventude tem como propósito dar visibilidade aos desportos náuticos e de praia, tanto a nível nacional como internacional.

Promover também a capacidade de mobilização social das referidas modalidades desportivas e desenvolver o potencial económico que pode representar para o país, bem como valorizar as condições naturais existentes para a prática de desportos alternativos e dinamizar as atividades na praia como vertente de animação desportivas, são outros objetivos deste projeto.

Neste “Open Ponta Preta 2022”, participam, além de atletas do Sal, atletas vindos de Santiago, Boa Vista, São Vicente, Marrocos e Senegal.

Na sua comunicação de ocasião, o titular da pasta do Desporto realçou que os quatro “open” que se vai realizar este ano, no País, é um investimento nos desportos náuticos, de mar e de praia, conforme objectivo traçado desde 2016, no qual o Governo tem feito “grandes esforços” nesse sentido.

“É esse tipo de projecto que o Governo quer apoiar e ajudar a estruturar”, indicou Carlos Monteiro, advertindo ao mesmo tempo, que a última etapa do circuito mundial de windsurf, ocorrido recentemente na praia de Ponta Preta, deu um sinal que é preciso prestar muita atenção relativamente à nossa competição a nível interno.

“Se não desenvolvermos quadros competitivos a nível interno, não fizermos competições como estas… e se se vier a muito breve prazo organizar etapas de circuito, teremos apenas um ou dois competidores de Cabo Verde. E não é isso o nosso objectivo”, despertou o governante, desejando ter um número significativo de competidores nacionais nas etapas internacionais, a esse nível.

“É por isso que esse projeto merece um elogio. Juntos vamos continuar a desenvolver surf, bodyboard e outros desportos de mar e praia para que possamos ser mais competitivos, e Cabo Verde ser visto como um país marca nos desportos náuticos a nível internacional. Que seja um grande fim-de-semana de promoção da modalidade e da marca Cabo Verde”, concluiu.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes, destacou a importância da criação de condições para que os jovens atletas possam treinar e competir, para representar o País com nobreza.

“Queremos uma juventude cada vez mais competitiva, atuando também em áreas onde temos vantagens comparativas. E não tenho dúvidas que na área dos desportos náuticos Cabo Verde já deu provas que tem condições naturais e bons atletas”, sublinhou o autarca, desejando sucessos a todos os atletas e que ganhe o melhor.

O presidente da Federação Cabo-verdiana de Surf, Emanuel Silva, manifestou-se satisfeito com a realização deste campeonato, já que o projeto, conforme disse, se encontrava “há anos” na gaveta.

“Até que enfim está a ser realizado”, desabafou, reiterando que o objectivo deste projeto é dinamizar o associativismo, desenvolver o surf em Cabo Verde e promovê-lo a nível internacional.

“Tornar o surf um produto nacional, tirá-lo da Ponta Preta e levar para as outras ilhas”, almejou, enunciando que este projeto começa no Sal, depois vai para São Vicente, Boa Vista e Santiago.

E no próximo ano, conforme disse, segue para Maio, Santo Antão, São Nicolau, e outras ilhas.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project