AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ilha do Sal: Mais um grupo de toninhas dá à costa na zona de Pedra de Lume - Causas ainda desconhecidas 18 Maio 2022

Está a ser notícia do dia o caso de mais um grupo de toninhas que deu à costa na zona de Pedra de Lume, na ilha do Sal-Cabo Verde. As causas deste fenómeno natural são ainda desconhecidas, segundo revelou o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente local, José Aureliano.

Ilha do Sal: Mais um grupo de toninhas dá à costa na zona de Pedra de Lume - Causas ainda desconhecidas

Segundo descreve a Inforpress, são cerca de dez toninhas (ver foto de inteiror desta peça) encontradas mortas na zona de Pedra de Lume, mais precisamente na praia denominada “Prancha de Julieta”, na manhã de hoje, cujas causas da tragédia são ainda desconhecidas, devendo ser confirmadas, no entanto, pelas autoridades, posteriormente.

Consta que a espécie vem saindo nas praias da ilha do Sal, nomeadamente da Murdeira e Pedra de Lume, há longa data.

Segundo José Aureliano infelizmente os indivíduos de tamanho compreendido entre 1,17 a 2,17 metros, já se encontravam mortos, comentando que são fenómenos naturais cuja razão não se conseguiu explicar ainda.

O responsável contou ainda que um homem foi detido no local, pelas autoridades policiais, por este ter apanhado uma toninha, com a cabeça e a cauda já decapitadas.

Além do delegado do Ministério da Agricultura e do Ambiente, estiveram nesta operação a delegada do Instituto Marítimo e Portuário, e a Polícia Marítima.

Segundo especialistas da matéria citadas pela Inforpress, as toninhas são uma espécie de golfinho endêmica do Atlântico Sul.

A captura acidental em redes de pesca é a principal ameaça à conservação da toninha.

A espécie difere do golfinho pelo formato do focinho de ambos. Enquanto os golfinhos têm um focinho longo e fino, o das toninhas é mais delicado e arredondado e o padrão de dentição também é diferente.

O corpo da toninha, adaptado para viver no ambiente aquático, apresenta um bico longo e fino, com uma barbatana dorsal pequena e triangular e uma nadadeira peitoral em formato de espátula.

A espécie vive de 15 a 21 ano, conclui a fonte deste jornal. Imagem: Inforpress/arquivo do jornal

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project