DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ilha do Sal: Mitú e filho disputam ondas na praia de Ponta Preta no Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf 19 Mar�o 2022

O kitesurfista profissional, campeão do mundo em 2008, Mitú Monteiro, disputa ondas com o filho Michael Monteiro, de 10 anos, na praia de Ponta Preta no Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf, que decorre no Sal desde sexta-feira.

Ilha do Sal: Mitú e filho disputam ondas na praia de Ponta Preta no Campeonato Nacional de Bodyboard e Surf

Mitú Monteiro, que tem estado mais tempo na ilha do Sal, por causa da pandemia, tem todas as competições paralisadas, porém mas vai aproveitando o tempo para preparar o filho Michael Monteiro para as competições nacionais e internacionais.

O segundo dia de provas do campeonato nacional de Surf e Bodyboard, que ocorre durante dez dias na Praia de Ponta Preta, arrancou com a modalidade de bodyboard por volta das 09:00, onde os oito rides da terceira ronda foram concluídos no primeiro período do dia, ou seja, ao meio dia, seguidos das provas do Surf.

Juntamente com o pai, o menino, de apenas 10 anos, já dá cartas no surf e entrou nestas competições ao lado do pai mostrando que filho de “peixe peixinho é”, segundo reza ditado popular.

Michael, para quem surf é seu sonho, é o mais novo do grupo nestas competições juntamente com o filho do lendário Josh Angulo, ex-campeão mundial de windsurf, mostrando que querem seguir as pisadas dos progenitores.

Michael treina muitas vezes com o pai, mas para Mitú, o mais famoso kitesurfista de Cabo Verde, sendo o filho ainda criança, o mais importante para ele é a diversão, e estar nas ondas de Ponta Preta a competir com o próprio filho é a realização de um sonho.

“Estar na água com ele é para mim um grande sonho realizado. Estou super contente porque nós os dois passamos nos quartos de finais… calhar-nos a sorte de fazermos uma final juntos, seria ainda mais top”, manifestou o atleta.

Radiante, Michael Monteiro disse não lhe passar pela cabeça chegar até onde chegou.

“Estou muito contente. É muito cool estar com o meu pai nas meias finais. Gostei da experiência”, exteriorizou com um sorriso largo no rosto.

À tarde desse mesmo dia foram disputados os quartos-de-final nas duas modalidades de onde saíram oito finalistas.

Para além dos atletas nacionais, passaram às semifinais dois atletas em bodyboard e surf, figurando-se também de entre eles, o campeão de kitesurf, Airton Cozzolino.

O presidente da Federação Cabo-verdiana de Surf, Emanuel Silva, manifestou satisfação por se conseguir realizar o máximo de provas em apenas dois dias.

“A praia de Ponta Preta recebeu-nos com grandes ondas, bons surfistas… foram dois dias de show’s espectaculares”, enfatizou.

O evento promovido pela Federação Cabo-verdiana de Surf e o Instituto do Desporto e da Juventude tem como propósito dar visibilidade aos desportos náuticos e de praia, tanto a nível nacional como internacional.

Promover também a capacidade de mobilização social das referidas modalidades desportivas e desenvolver o potencial económico que pode representar para o país, bem como valorizar as condições naturais existentes para a prática de desportos alternativos e dinamizar as actividades na praia como vertente de animação desportivas são outros objectivos deste projecto.

Neste “Open Ponta Preta 2022”, participam, além de atletas do Sal, atletas vindos de Santiago, Boa Vista, São Vicente, Marrocos e Senegal. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project