POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ilha do Sal: UCID diz que sectores da pesca e agricultura estão “abandonados” 30 Maio 2022

O líder da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), João Santos Luís, disse hoje, que está “decepcionado” com a situação dos sectores da pesca e da agricultura, na ilha do Sal, que estão “completamente abandonados”.

Ilha do Sal: UCID diz que sectores da pesca e agricultura estão “abandonados”

Segundo a Inforpress, João Santos Luís fez estas declarações esta tarde no final da sua visita de três dias ao Sal para tomar pulso ao sector primário, com foco na pesca e na agricultura, mas também outros contactos, nomeadamente, com os empresários, militantes e dirigentes do partido na ilha.

Nessa sua deslocação, o líder do partido democrata cristão esteve nos três pontos principais da ilha, Palmeira, Pedra de Lume e Santa Maria, tendo-se reunido com as associações de pescadores dessas localidades, onde disse ter ficado “espantado e decepcionado” com a situação dos pescadores na ilha e com a atitude das autoridades nacionais nesta matéria.

“Constatamos ‘in loco’ que, de facto, o sector da pesca na ilha do Sal está abandonado. Não há condições para os pescadores exercerem a sua profissão”, reiterou, referindo que os problemas que encontrou na Palmeira, são idênticos ao das outras localidades.

De entre os problemas João Santos Luís destacou , prossegue a Inforpress, a inexistência de arrastadouros, a falta de condições para o armazenamento do pescado, dificuldades no acesso ao crédito, entre outras dificuldades.

“Vão à pesca e quando regressarem têm de vender logo o pescado para não estragar, porque nem gelo tem. É uma lástima”, comenta, admirando o facto, de o ministro da tutela vir ao Sal, inteirar-se dos projectos, fazer “inúmeras promessas e depois engavetá-los”.

“Para não sair da gaveta nunca mais. Com esta atitude o Governo não está a contribuir para que os pescadores na ilha do Sal tenham, de facto, uma vida melhor”, indicou, elucidando que o Governo é quem tem os recursos, por isso, é quem terá de apoiar esses profissionais.

“O sector da pesca é um sector que exige investimentos estruturantes. Não podemos aceitar que o Governo, volta e meia venha e ofereça um bote, um ou dois motores de popa… e o problema está resolvido. É isto que tem feito”, criticou, considerando que a ilha do Sal tem “grandes” potencialidades de desenvolvimento a todos os níveis, particularmente a pesca que pode empregar muitas pessoas, conforme analisou.

“E que pode produzir para fornecimento do mercado local, também para as unidades hoteleiras. Mas isto não está a acontecer, porque, de facto, quem deve criar as condições não está a fazê-lo, neste caso o Governo”, concretizou segundo a mesma fonte.

A mesma percepção tem o líder da UCID para o sector agrícola e, em Terra Boa, estranhou também o facto de o projecto da Cooperativa Sal Verde, por exemplo, concebido desde 2019, estar ainda parado, ter perdido o financiamento a volta de 200 mil dólares devido “à grande burocracia” do Governo, relativamente à disponibilização do terreno.

“O financiamento foi reactivado, mas agora o problema não está no terreno, mas na falta de água. Não se pode confinar uma ilha somente numa direcção, o turismo, nesse caso concreto… isto é errado. O Governo e o próprio Ministério da Agricultura devem arrepiar caminho”, exteriorizou João Santos Luís.

“Podem, perfeitamente, aqui mesmo na Terra Boa, produzir diversos produtos, qualificá-los e fornecer às unidades hoteleiras. Isto é prova clara de que as autoridades, os governos não estão a preparar o País. Está-se a agir na reacção… o País deve agir na prevenção, enfrentar os desafios para preparar o futuro”, enfatizou, conforme a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project