INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Inglesa escoltada para fora do avião por causa de blusa decotada 20 Julho 2020

Harriet, de 31 anos, mal sabia o que a esperava quando vestiu a blusa da foto antes de embarcar a 23 de junho no voo da EasyJet em Málaga, Espanha. Após uns dias de férias ao sol estava ansiosa por abraçar os dois filhos, mas o reencontro ia ser adiado por causa da roupa que escolhera para realçar o seu bronzeado.

Inglesa escoltada para fora do avião por causa de blusa decotada

Ao entrar no avião, Harriet ouviu a hospedeira a dizer: "A senhora vai ter de vestir algo por cima dessa blusa, senão não podemos deixá-la entrar".

Harriet que levou o caso à imprensa relatou: "Pensei que ela estava a falar com outra pessoa". Mas era mesmo com ela. Ante o seu ar surpreso, a assistente de bordo explicou-lhe que "outros passageiros estão a queixar-se de que esta roupa não é para usar num avião".

A passageira ainda tentou argumentar que não havia nenhum problema com a sua roupa, mas a assistente de bordo foi firme e Harriet acabou por vestir mais uma peça.

Sentada no seu lugar no avião, vieram-lhe lágrimas aos olhos enquanto remoía essa humilhação. Sobretudo tinham-na ofendido o tom e as palavras da hospedeira.

Quanto mais pensava, mais furiosa ficava. Decidiu confrontar a assistente de bordo. Com que direito estava ela a fazer de polícia do que se podia ou não vestir quando não havia nenhuma indicação sobre uma "etiqueta vestimentária" a bordo para os passageiros?

A tripulação decidiu chamar a polícia e Harriet viu-se a ser escoltada para fora do avião. Por ser esse o último voo do dia para Stansted, o aeroporto dos voos low-cost a 68 km de Londres, ela ia ter que esperar pelo dia seguinte. Sem dinheiro, dormiu num assento do aeroporto malaguenho.

Controvérsias

Chegada a casa, Harriet denunciou o caso através primeiro do Daily Mail. O caso ganhou outros media, como a americana Fox News. As redes sociais apropriaram-se da controvérsia.

Uns estão por Harriet, outros contra. Como o utente do Facebook que diz: «Porque é que uma pessoa no seu juízo entra num avião assim vestida? Por mim, ela até podia estar nua! Mas ela não está "vestida para andar de avião"».

Outra pessoa diz: "Ela pode vestir o que quiser ... os outros até podem dizer patetices, mas a hospedeira não é a polícia da roupa, ela está lá para servir os passageiros".

A direção da Easy Jet perante as controvérsias emitiu um comunicado: "Confirmamos que uma pessoa que ia viajar de Málaga para Stansted, no dia 23 de junho, não pôde seguir viagem dado o seu comportamento disruptivo contra um membro da nossa tripulação".

"A nossa tripulação de terra e ar está treinada para lidar com todas as situações e agir de modo rápido e apropriado. Não toleramos qualquer tipo de comportamento abusivo ou ameaçador para com o nosso pessoal", remata a companha aérea classificada como melhor ’low-cost’ europeia (EasyJet, melhor ’low-cost’ europeia, péssimo serviço — Foto de passageira em assento sem costas choca o mundo, 13.ago.019). Fontes referidas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project