ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Instituto Camões e Fundação Calouste Gulbenkian reforçam capacidade de diagnóstico da Covid-19 em Cabo Verde 25 Agosto 2020

No quadro do combate à pandemia da Coid-19 em Cabo Verde, o Governo Português, através do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, associa-se à Fundação Calouste Gulbenkian para reforçar a capacidade de diagnóstico da Covid-19 em Cabo Verde. O apoio consiste em dois equipamentos para a realização de exames com a técnica PCR-RT e materiais para os laboratórios de virologia que permitirão a realização de 1.000 testes para o diagnóstico da Covid-19 na Ilha de Santiago, duplicando a capacidade de resposta, e na ilha de Fogo, respondendo às necessidades da Região Sanitária Fogo – Brava, bem como reduzir significativamente, o tempo de espera do resultado dos testes daquela região. A cerimónia de entrega dos equipamentos realizar-se à esta quarta-feira, 26, na sala de reuniões do Ministério da Saúde e Segurança Social, e contará com a presença do Embaixador de Portugal, António Moniz, e do Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário.

Instituto Camões e Fundação Calouste Gulbenkian reforçam capacidade de diagnóstico da Covid-19 em Cabo Verde

Cabo Verde registou a 19 de Março passado o primeiro caso importado de Covid-19, contabilizando, a 03 de Agosto, 2.583 casos, entre os quais 1.911 recuperados, e 25 mortes. “A maioria dos novos casos resultam de transmissão comunitária, levando a que as autoridades tenham vindo a aumentar o número de testes diários, tendo já sido realizados 41.634 testes”.

Segundo um comunicado enviado ao asemanaonline, o aumento do número de equipamentos de PCR-RT ao serviço das autoridades sanitárias em Cabo Verde, para além de ter impacto nos esforços de combate à Pandemia de Covid-19, permitirá, a médio e longo prazo, a implementação de outros testes laboratoriais e abrirá possibilidades de desenvolvimento de investigação local.

O apoio do Camões I.P. está enquadrado no esforço conjunto do Plano de Ação na Resposta Sanitária à Pandemia Covid-19 entre Portugal e os Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste (TL), coordenado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros português.

Segundo a mesma fonte, o Plano de Ação na Resposta Sanitária à Pandemia Covid-19 entre estes Paíse contempla dois eixos de atuação, sendo o primeiro ao nível da disponibilização de recursos e o segundo ao nível da formação e investigação, bem como uma vertente complementar de transporte e logística.

O presente Plano abrange, em traços largos nomeadamente Valores envolvidos (3.000.000 de euros); Disponibilização de material médico e proteção individual (cerca de 800 mil itens); Formação (96 ações de formação; (Duração 1 ano).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project