INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Israel: Governo perde maioria com saída da líder da coligação para ala de Netanyahu 07 Abril 2022

A líder do Yamina e da coligação era a última pedra que garantia a maioria do governo de Bennett, em funções desde junho. A saída de Idit Sliman hoje (4ªfª, 6) anunciada — porque "já não po[de] mais suportar os atentados à identidade judaica" — deixa Israel de novo à beira de eleições, com o iminente empate entre as forças de Bennett e Netanyahu.

Israel: Governo perde maioria com saída da líder da coligação para ala de Netanyahu

Idit Silman sai da coligação em discórdia com o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, relativamente a um costume enraizado da Pessach (Páscoa judaica), sobre oa proibição de consumir chametz (alimentos com fermento).

Idlit Sliman esta quarta-feira (menos 8 H em Cabo Verde) explicou ao Knesset os motivos para a sua saída da coligação. Embora sem mencionar o nome de Nitzan Horowitz, o teor do seu comunicado claramente contraria a decisão do ministro que autoriza a entrada de alimentos chametz (fermentados, proibidos) esta Páscoa nos hospitais.

"Tentei a união, porque venho do mundo do bem comum, trabalhei no duro para a atual coligação", afirmou a líder do partido Yamina. "Infelizmente não vou poder apoiar os atentados à identidade judaica do Estado de Israel e do povo de Israel. A identidade judaica do Estado de Israel é o nosso direito de existir".

"Esta é a nossa essência, é o nosso direito de existir. Jamais vou ultrapassar essa linha vermelha", disse Sliman tida como a líder mais forte dos partidos apoiados pelos judeus ortodoxos.

Coligação de 8 partidos

Recorde-se que a coligação para chefiar o 36º governo juntou, em junho, oito partidos saídos das legislativas de março 2021: o centrista Yesh Atid, o 2º mais votado, com 17 assentos; o Azul e Branco 8, Labor 7, Yisrael Beytenu 7, Yamina 6, Nova Esperança 6, Meretz 5 e Ra’am 5.

Sessenta dos sessenta e um parlamentares coligados pró-Bennett e o centrista Yair Lapid votaram a favor do governo de coligação, um absteve-se e todos os 59 da oposição votaram contra. A aliança deste governo inclui, pois, três partidos de direita, dois do centro, dois de esquerda e o Ra’am, o partido árabe de direita.

A maioria tangencial ficou ainda mais frágil quando Shai Maimon, o primeiro deputado eleito do Yamina, saiu em desacordo com Bennett. Número-2 da lista coligada, Maimon justificou a sua saída com a "coerência" por ter prometido jamais coligar-se com "apoiantes do terrorismo", em referência ao partido o partido árabe de direita Ra’am (Lista Árabe Unida). O seu líder Mansour Abbas é o primeiro árabe no governo nos 73 anos do Estado de Israel.

Netanyahu

O mais longevo primeiro-ministro de Israel e desde junho líder da oposição congratula-se com a decisão de Idit Sliman e convida outros a fazerem o mesmo. Eleições à vista. Mas pode ser cedo ainda para apagar a má memória da governação e escândalos financeiros do casal Benjamin e Sarah Netanyahu.

Fontes: Jerusalem Post/Haaretz/... Relacionado: Israel: Netanyahu é 1º com 30 assentos em 4ªs eleições em 23 meses — Incerteza se governará, se coligará com Yamina, árabe Ra’am ou... Gantz, 26.mar.021; Israel: Presidente Rivlin apela a "colaboração inédita" para evitar 5ªs legislativas em 2 anos — Impasse na governação por Netanyahu ’ arguido’, 01.abr.021; . Fotos: Idit Sliman entre Netanyahu e Bennett. Dissenso sobre alimentos chametz sob fundo pascalino. Na última Páscoa, os judeus puderam reunir-se junto ao Muro das Lamentações, em Jerusalém, graças ao seu pioneirismo na vacinação anti-Covid em 2021. A Seder foi celebrada com o direito de beber quatro taças de vinho, comer a Matzá (pão ázimo) e recontar a história da fuga da Terra Egípcia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project