INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Conflito israelo-palestino: Soldados IDF matam 3ª, 4ª e 5ª 2 jovens e menino palestinos — 50 professores de universidade de NY posicionam-se contra antissemitismo 01 Agosto 2021

Em Gaza, o funeral na quinta-feira, 29, de Mohammed al-Alami, de doze anos, baleado por um soldado da IDF, foi ocasião para mais uma morte, a de Shawkat Awad de 20 anos. A primeira vítima fatal da IDF foi um homem que na terça-feira, 27, os soldados balearam como suspeito terrorista. Em Nova Iorque, 50 professores de origem judaica abandonaram o sindicato da CUNY desagradados pelo comunicado contra "Israel Estado colonizador".

Conflito israelo-palestino: Soldados IDF matam 3ª, 4ª e 5ª 2 jovens e  menino palestinos — 50 professores de universidade de NY posicionam-se contra antissemitismo

Em Nova Iorque, o presidente do sindicato dos professores da universidade nova-iorquina CUNY-City University of New York, com pólos em cinco bairros da metrópole, confirmou ao NY Post no domingo, 25, que pelo menos cinquenta professores tinham saído da organização sindical.

James Davis, presidente do Congresso dos Profissionais Académicos (da CUNY), confirmou que os professores universitários tinham apresentado a sua desvinculação devido à resolução pró-palestina.

Contudo, Davis acredita que o diálogo pode levar os professores desafetos a regressar ao seio da estrutura sindical académica: "Estamos em diálogo ativo com os membros que expressaram preocupação com a resolução". O seu número "pode atingir a centena", reconhece o representante.

A resolução datada de 10 de junho, um mês após reacender o conflito Israel-Palestina em Gaza, referia a ocupação da faixa ocidental em 1948 como "uma ocupação por um Estado colonial", além de apelarem ao Movimento Boicote (Boicote de marca: "Gelados há muitos, mas Israel é único". PR Herzog condena "nova forma de terrorismo", 25.jul.021).

"Esses termos — da expressão utilizada para rejeitar a existência do Estado Judaico — podem colocar a comunidade judaica em perigo", considerou o professor Yedidyah Langsam, chefe do Departamento de Ciências de Computação e Informacionais.

"Ao assinar a resolução, é afetado o pessoal académico e os estudantes de origem judia que ficam numa situação insustentável, de insegurança". Podem ser "alvos de antissemitismo"— lê-se na carta que Langsam dirigiu a Davis.

Estas considerações, citadas pelo NY Post, terminam por uma pergunta. "Será que o Davis e colegas tiveram em conta o facto de que está a ocorrer um aumento exponencial de ataques antissemitas (contra judeus) nesta área da cidade de Nova Iorque?"

Fontes: NY Post/Haaretz. Relacionado: Tokyo’21: COI investiga atletas pró-causa palestina que recusam competir com israelitas, 30.jul.021. Fotos (JTA): Edifício da CUNY, em Brooklin —"área da cidade de Nova Iorque, com um aumento exponencial de ataques antissemitas". Em Beit Ummar, entre Jerusalém e Hebron, o enterro de Mahommed, 12 anos, "o filho que esperámos durante sete anos, o nosso coração que agora nos arrancam", segundo chorou o pai.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project