REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Italiano mata e esquarteja corpo de atriz porno com quem tinha relação 30 Mar�o 2022

Já morreram 25 mulheres vítimas de feminicídio na Itália só este ano.
Italiano mata e esquarteja corpo de atriz porno com quem tinha relação

Italiano mata e esquarteja corpo de atriz porno com quem tinha relação

Davide Fontana, é um banqueiro italiano, de 43 anos, que acaba de ser detido pela morte da atriz porno, de 23 anos, Carol Maltesi.

Os dois eram vizinhos em Rescaldina, mas conheceram-se num hotel em Milão, em 2020, revela NM.

Davide, para além de banqueiro, é um apaixonado por fotografia e gastronomia e é autor de um blogue. Na altura, realizou um trabalho fotográfico com Carol, mulher que ganhava dinheiro através da pornografia e da plataforma Only Fans.

O homem, que era casada na altura, separou-se para viver uma relação aberta com a jovem. Contudo, no inicio de fevereiro, e depois de filmar dois vídeos sexuais com ela, acabou por matá-la, segundo o próprio, "sem um motivo que o justifique".

Carol estava amarrada a um poste de striptease e com um saco na cabeça. Davide começou a dar-lhes golpes com um martelo no corpo, até que começou a bater-lhe na cabeça, com força.

"Não sei o que se passou. Não sei o que se passou pela minha cabeça", confessou o homem, depois de ter sido detido.

Depois disto, o banqueiro recorreu à Amazon para comprar uma arca congeladora e uma serra elétrica. O objetivo da compra era esquartejar o corpo da vítima, congelá-lo e depois abandoná-lo na montanha, na região de Borno (Brescia), a mais de 120 km de distância. O corpo de Carol esteve dois meses na casa do suspeito, dentro do congelador.

Conforme ainda NM, o crime viria a ser descoberto depois de um homem ter encontrado os restos mortais da jovem e ter alertado a polícia. O corpo estava irreconhecível e as autoridades partilharam imagens das 15 tatuagens de Carol, pedindo ajuda para a identificar. Rapidamente vários fãs alegaram tratar-se de Carol Maltesi.

Davide Fontana, que continuava a usar o telefone e o carro da vítima, começou a receber chamadas, inclusive de uma jornalista, que tentavam obter reações à notícia da morte da jovem. O homem acabaria por se entregar na polícia e confessar o crime.

Desde o início do ano, já se registaram 25 feminicídios na Itália, escreve o El Pais. A própria Carol Maltesi tinha publicado um vídeo em 25 de novembro denunciando o abuso psicológico que as mulheres sofrem frequentemente e que passa mais despercebido do que o abuso físico. A jovem acabaria por ser vítima desse mesmo crime, conclui a fonte deste jornal. Foto: © Facebook

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project