POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

JPAI desiludida com a falta de uma entidade governamental que tutele o sector da juventude cabo-verdiana 23 Dezembro 2017

O presidente da Juventude do Partido Africano da Independência de abo Verde (JPAI). Fidel Carlos Cardoso de Pina, convocou a imprensa, esta sexta-feira, 22, na Cidade da Praia, para manifestar a sua indignação com a recente remodelação governamental. É que esta organização política aguardava, desde há muito, que a juventude cabo-verdiana merecesse alguma atenção e um tratamento condigno, passando, assim, a ser merecedora de um ministério próprio.

JPAI desiludida com a falta de uma entidade governamental que tutele o sector da juventude cabo-verdiana

Para Fidel Carlos Cardosos de Pina, a JPAI entende que a juventude é a maior riqueza do país, pelo potencial que representa em matéria de capacidade, de inovação, de criatividade e de transformação dos destinos de um país. Daí que o seu presidente diz não entender por que é que o Governo insiste em não ter na sua orgânica nenhuma entidade que se responsabilize, de forma directa, pela juventude cabo-verdiana.

“A Juventude é, claramente, um sector que precisa de medidas urgentes. No entanto, foi com muita estranheza que a JPAI tomou conhecimento da remodelação governamental anunciada que, na verdade, foi uma ampliação do Governo”, refere.

Sem esquecer dos compromissos assumidos durante as últimas campanhas eleitorais, Fidel Cardoso de Pina afirma que após ter alcançado a vitória, o actual primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, esqueceu-se das promessas feitas e pôs na gaveta todos os compromissos, em campanha, de forma “generosa, prometendo mundos e fundos” à Juventude deste País.

“Continuamos sem saber qual a real importância que o actual Governo dá aos jovens de Cabo Verde. Depois de quase dois anos de governação, o chefe do Governo não conseguiu ainda, apresentar uma única solução de fundo para dar resposta aos desafios dessa camada social. Aliás, no seu primeiro governo, a pasta ministerial da Juventude desapareceu, todos os Centros de Juventude foram transferidos para as Câmaras Municipais, e, hoje, apesar da sua importância no passado, esses centros encontram-se praticamente sem funcionar”, ressalta.

Falta de visão e desemprego jovem

Com esta recente remodelação governamental tão aguardada, o líder da JPAI mostra-se indignado e desiludido com a falta de visão estratégica para um sector que considera fundamental para a capacitação dos jovens e a qualificação da prestação de serviços.

“Esperava que a Juventude merecesse alguma atenção e um tratamento condigno, passando, assim, a ser merecedora de um ministério próprio. O desemprego jovem já ultrapassou os 40% e a falta de solução para sua empregabilidade condigna é um risco sério para o futuro do país. Temos menos Bolsas de Estudo no Ensino Superior, reduziram os subsídios da FICASE aos jovens carenciados e o Governo adiou a sua promessa de isenção de propinas escolares até o 12º ano”, aponta.

Para a JPAI, esta remodelação traz retrocesso no tratamento dado aos jovens, que vão perdendo importância com este Governo, dia pós-dia. “Ficou evidente no Orçamento de Estado para 2018, em que apenas 0,1% do bolo orçamental foi destinado a esta juventude, que tanto foi tema de inúmeros discursos feitos pelo então candidato e agora Primeiro-ministro de Cabo Verde”, conclui Fidel Carlos Cardoso de Pina

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project