LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Joacine Moreira perde apoio do Livre, inscrição e direitos afins — Fim político da 1ª deputada guineense em Portugal? 01 Fevereiro 2020

Consumou-se o divórcio entre a deputada Joacine Katar Moreira e o partido Livre pelo qual se elegeu como cabeça de lista nas legislativas de outubro. Três meses tumultados depois, o Livre retira a confiança política à sua única deputada na Assembleia da República.

Joacine Moreira perde apoio do Livre, inscrição e direitos afins — Fim político da 1ª deputada guineense em Portugal?

Treze dias pós-arranque da convenção que ia votar a moção contra a deputada, a confiança de Joacine provou-se tão inconsistente como a possibilidade de ela manter-se na Assembleia da República como representante do Livre. No último dia do mês, a confiança em Joacine ficou definitivamente "chumbada" por 80% dos membros da convenção do partido.

Os politólogos acreditam que o comportamento de Joacine Moreira no primeiro dia convenção, no sábado, 18, determinou a expressiva votação desta sexta-feira, 31, que lhe diminui o estatuto para deputada não-inscrita. Recorde-se que há treze dias, ela — após uma autodefesa com veemência — dissera estar confiante de ter conseguido fazer valer a sua posição.

A veemência esteve presente na autodefesa que a "primeira deputada toda diferente" fez contra a moção "Recuperar o Livre, resgatar a política", subscrita por cinco elementos entre os quais a presidente da assembleia do partido. A moção crítica às intervenções parlamentares da deputada única do Livre defendeu que se ela "não se dispuser a renunciar às suas funções, a direção do Livre não tem outra alternativa a não ser retirar-lhe a confiança política".

Foram três meses da deputação de Joacine muito tumultuados. E qual o futuro?

Os membros do partido não tiveram dúvida em retirar a confiança à deputada, tal como pediam os cinco subscritores da moção — num texto aliás fraquinho, com erros conceptuais e de forma, mas isso fica para a tardia análise da História.

Também de partida dando um xeque-mate ao Livre está o membro fundador do partido, Rafael Esteves Martins, o assessor de Joacine, que decerto entra para a História como "o que ousou estrear-se na Assembleia da República, como corajoso homem de saias".

Futuro: sem o coletivo que a elegeu, Joacine perde o imprescindível direito de intervenção na plenária. Irradiada do fórum parlamentar, é quase certa a sua irradiação da política no futuro. Ou terá ela um trunfo?

Fontes: Emissões ao vivo da TVI/SIC/RTP. Foto: O Livre passou a cruz sobre Joacine. Histórico 31 de janeiro: o de 1891, na cidade do Porto, marcou a afirmação de Portugal contra o ultimato britânico de 1890 (por causa do Mapa Cor-de-Rosa, que pretendia ligar, por terra, Angola a Moçambique) e o de 2020 fica marcado com o Brexit e o Livrexit de Joacine e assessor. LS

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project