SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Jorge Carlos Fonseca aponta para a necessidade de uma política de línguas em Cabo Verde 05 Maio 2021

O Presidente da República. Jorge Carlos Fonseca, considerou hoje que Cabo Verde precisa ter definido uma política de línguas, condição para “anular a interferência mútua” vigente entre o português e o crioulo no País.

Jorge Carlos Fonseca aponta para a necessidade de uma política de línguas em Cabo Verde

O chefe de Estado fez esta intervenção, instado sobre o Dia Mundial da Língua Portuguesa, celebrado hoje, à margem da sessão de abertura da Cimeira de Negócios da Confederação Empresarial da CPLP, em modo virtual.

Conforme o Presidente da República, a percepção é que há “muitas dificuldades crescentes” no uso correto da língua portuguesa no arquipélago, tanto na escrita, como na oralidade, cita Inforpress.

Segundo assinalou, especialistas indicam que tem havido um “fenómeno de interferência mútua” entre a língua portuguesa e o crioulo, e que tem levantado questões quanto à forma como as duas línguas devem coabitar no mesmo espaço.

“Muitas vezes falamos, escrevemos e transpomos na língua portuguesa, vocábulos e construções sintáticas do crioulo, e vice-versa”, atestou.

Conforme escreve a Inforpress, neste sentido, Jorge Carlos Fonseca considerou, enquanto utilizador das duas línguas, que Cabo Verde deve adoptar “políticas claras” sobre a questão, definindo a “melhor forma” de as duas línguas serem utilizadas, sem a referida interferência mútua.

“Temos que definir, porque, caso contrário, nem falamos nem escrevemos bem o português, nem falamos nem escrevemos o crioulo, porque não se desenvolvem”, salientou, sustentando que do ponto de vista do poder político é fundamental que se reúna e ouça o que especialistas dizem, tanto nacionais, como de experiências internacionais, e ter uma política de línguas em Cabo Verde.

Por outro lado, segundo a mesma fonte, asseverou que os dados mostram o interesse crescente na aprendizagem da língua portuguesa, em vários espaços, nomeadamente no continente asiático, na América Latina e mesmo em África.

“Há uma divulgação crescente da língua portuguesa e há uma previsão de que até 2030, cresça grandemente o número de falantes e utilizadores”, revelou o chefe de Estado, ressaltando que o português se encontra entre a quinta ou sexta língua mais usada na internet no mundo, dando uma perspetiva extremamente optimista sobre o crescimento da língua e a sua formação.
“Os dados que nós temos a língua portuguesa é que está bem e recomenda-se”, destacou.

Proclamado em 2019 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), este é o segundo ano em que se celebra o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project