ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Jovem surdo-mudo abre agência de turismo para promover o turismo inclusivo em Cabo Verde 27 Setembro 2022

O jovem surdo-mudo Gracelindo Monteiro abriu hoje, na cidade da Praia, a sua agência de turismo, virada para o turismo inclusivo dos surdos-mudos em Cabo Verde.

Jovem surdo-mudo abre agência de turismo para promover o turismo inclusivo em Cabo Verde

A agência, que fica localizada no bairro do Palmarejo, arranca com três agentes. com o objectivo de dar respostas à necessidade de guias/intérpretes para os visitantes surdos-mudos que chegam a Cabo Verde.

Gracelindo Monteiro explicou aos jornalistas, no momento da abertura oficial da sua agência, que a ideia de criar esse projecto nasceu depois de ter mantido contacto com um grupo de turistas estrangeiros e experimentar as dificuldades de comunicação que os mesmos enfrentam.

“Há muitos turistas que chegam aqui e só encontram guias/ouvintes e não conseguem se comunicar. Os surdos que fazem turismo em Cabo Verde não têm acesso a comunicação. Por isso, eu mesmo fui estudar a língua gestual internacional que é diferente da língua gestual cabo-verdiana e comecei a trabalhar como guia/interprete”, disse.
Gracelindo Monteiro adiantou que passou três anos a estudar a língua gestual internacional, para que a comunicação fosse mais acessível.

A empresa arranca com três agentes e neste momento já tem iniciado uma formação de um grupo de surdos com ouvintes para que os ouvintes possam aprender a língua gestual.

Conforme explicou, primeiramente, os formandos vão aprender a língua gestual na língua portuguesa e na língua cabo-verdiana e depois a língua gestual internacional como segunda língua para que possam estar preparados para trabalhar com os turistas.

O projecto conta com apoio da Câmara Municipal da Praia, mas Gracelindo Monteiro espera contar com outros apoios para levar avante esse seu projecto que tem também esse cunho de ajudar os surdos-mudos.

“Estamos a notar que há muitas pessoas surdas deprimidas porque não conseguem um trabalho e ficam sempre em casa. Por isso criei esse projecto com a intenção de dar trabalho aos surdos”, argumentou.

Para a presidente da Associação Cabo-verdiana de Surdos, Helena Augusta Tavares, trata-se de um projecto muito importante, já que para além de ajudar outros surdos-mudos, vai também facilitar a comunicação a nível do turismo interno.

“Os surdos enfrentam muitas dificuldades quando vão por exemplo à recepção de um Hotel, nas praias. Aqui na Praia temos alguns intérpretes, nas outras ilhas não existem e temos enfrentado essas dificuldades. Estou contente com esta iniciativa”, declarou.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project