LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Justiça de Portugal investiga concessão de nacionalidade a Abramovich 20 Janeiro 2022

A PGR-Procuradoria-Geral da República confirmou hoje (4ªfª) que está a investigar a concessão da nacionalidade portuguesa ao empresário russo Abramovich, ao abrigo de uma lei recente que beneficia os judeus sefarditas descendentes dos que foram expulsos de Portugal há mais de meio milénio. Entre as reações internacionais adversas, está a do opositor russo Alexei Navalny, detido numa prisão do seu país, que acusa Portugal de aceitar subornos para naturalizar Roman Abramovich (foto central).

Justiça de Portugal investiga concessão de nacionalidade a Abramovich

O pronunciamento da PGR de Portugal acontece semanas depois de Alexei Navalny ter acusado de corrupção as autoridades portuguesas envolvidas no processo que, em abril, concedeu ao judeu-russo dono do Chelsea, a nacionalidade portuguesa ao abrigo da Lei da Nacionalidade.

O opositor político de Putin escreveu no Twitter que "Roman Abramovich encontrou finalmente um país onde pode pagar alguns subornos e fazer alguns pagamentos semioficiais e oficiais para acabar na União Europeia e na NATO".

Alexei Navalny, que se encontra a cumprir pena de prisão de dois anos e meio a leste de Moscovo, acusa Portugal por ter concedido a naturalização ao oligarca cúmplice do Kremlin.

Segundo o jornal Público, Abramovich teve "as suas ascendências sefarditas" reconhecidas pela Comissão de Certificação do Sefardismo da comunidade judaica portuguesa.

Essa certificação foi essencial para o processo, que deu entrada na Conservatória dos Registos Centrais, em Lisboa, e no Ministério da Justiça, a 16 de outubro de 2020 e ficou concluído a 30 de abril último.

Segundo Navalny, "o oligarca [Abramovich] mais próximo de Putin e uma das suas carteiras", entenda-se financiador, "finalmente conseguiu encontrar um país onde pode pagar alguns subornos e fazer alguns pagamentos semioficiais e oficiais para acabar na União Europeia e na NATO", escreveu o crítico do Kremlin num post na rede social Twitter.


Porto: 500 de 30 nacionalidades

Segundo inofrmação no respetivo portal, a comunidade judaica do Porto carateriza-se por ter 500 membros de 30 nacionalidades.

Segundo registos atuais, divulgados no Times of Israel, o total mundial de 15 milhões de judeus aproxima-se dos 16 milhões contados até à Segunda Guerra, antes do holocausto nazi. Distribuem-se assim:
Israel– 6.103.200
Estados Unidos– 5.700.000
França– 475.000
Canadá— 385.300
América Latina– 383.500
Reino Unido– 290.000
Rússia– 186.000
Alemanha– 118.000
Austrália– 112.500
África (sic!)– 74.700
África do Sul – 70.000
Ucrânia– 63.000
Hungria– 47.900
Irão– 20.000
Ásia– 19.700
Roménia– 9.400
Nova Zelândia– 7.600
Marrocos– 2.400

Fontes: Twitter/Expresso/ Publico.pt. Relacionado: Portugal deu nacionalidade a Abramovich — Navalny acusa: "Portugueses carregam malas com dinheiro" de subornos, 28.dez.021. Fotos (Getty/): Roman Abramovich. Alexei Navalny, em segundo plano.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project