REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Lançamento da missão espacial privada Ax-1 adiado 24 horas 24 Abril 2022

Os ventos fortes que sopram na costa leste da Flórida obrigaram hoje a atrasar 24 horas a partida da missão privada Ax-1, da Estação Espacial Internacional, adiando, consequentemente, para quarta-feira o lançamento da missão Crew-4, de Cabo Canaveral.

Lançamento da missão espacial privada Ax-1 adiado 24 horas

"Ao terminar um briefing meteorológico antes do lançamento planeado para hoje, as equipas da NASA, Axiom Space e SpaceX optaram por cancelá-lo devido a uma depressão que tem causado ventos marginalmente fortes no local de aterragem", anunciou a NASA, citada pela agência EFE.

De acordo com o novo calendário, sujeito a alterações, a nave Dragon Endeavour da SpaceX, com os quatro membros da missão organizada pela empresa texana Axiom Space, iniciará a viagem de regresso à Terra no domingo à noite, um dia depois do previsto.

A queda controlada da nave em alto mar acontece na segunda-feira, segundo a Axiom e a SpaceX.

Isto altera os planos de lançamento do foguete Falcon 9, que irá colocar no espaço a Dragon Freedom da SpaceX que, com três astronautas da NASA e uma da Agência Espacial Europeia, tem como destino a Estação Espacial Internacional (EEI).

O lançamento irá acontecer em 27 de abril, se não houver mais alterações, e a nave deverá chegar à EEI no dia seguinte.

Os elementos da missão Crew-4 são o comandante Kjell Lindgren, o piloto Robert Hines e a especialista Jessica Watkins, os três da NASA, além da especialista italiana Samantha Cristoforetti, da Agência Espacial Europeia.

Os membros da missão Ax-1, a primeira inteiramente privada a chegar à EEI, são hispano-americano Michael López Alegría e os empresários Larry Connor (EUA), Mark Pathy (Canadá) e Eytan Stibbe (Israel), que pagaram, segundo os meios de comunicação social norte-americanos, 55 milhões dólares cada para integrarem a missão.

A cápsula Dragon Endeavour da SpaceX iniciou viagem em 08 de abril na ponta de um foguete Falcon, que decolou de Cabo Canaveral e chegou à EEI no dia seguinte.

A Dragon Freedom não pode iniciar viagem se o módulo Harmony estiver ocupado, o que acontece atualmente com a Endeavour, que deveria ter regressado à Terra em 19 de abril.

A tripulação da Ax-1 tem realizado na EEI experiências científicas e atividades educativas e comerciais.

As autoridades dizem que a tripulação tem muitos mantimentos para a uma estadia prolongada na estação.

A SpaceX tem sete zonas de aterragem para as missões Dragon, quatro no Golfo do México e três em frente à costa da Flórida.

A empresa tem dois navios de recuperação, que divide entre as regiões do Golfo e do Atlântico para cada regresso da tripulação.

A Axiom Space foi fundada em 2016 com o propósito de criar a primeira estação espacial comercial, cujo primeiro módulo deverá ser lançado em 2024.

Antes da missão da Axiom Space, a SpaceX já tinha levado astronautas da NASA e da congénere europeia ESA para a Estação Espacial Internacional, substituindo o transporte russo de longa data concedido pelas naves Soyuz da agência espacial russa Roscosmos.

Em 02 de abril, a Roscosmos anunciou que vai apresentar "propostas concretas" de datas para terminar a cooperação na EEI, depois de as congéneres ocidentais terem recusado levantar sanções a empresas russas na sequência da invasão em fevereiro da Ucrânia pela Rússia.

Em 08 de dezembro último, o excêntrico milionário japonês Yusaku Maezawa viajou até à EEI, para uma estada de 12 dias, graças a uma parceria entre a Roscosmos e a Space Adventures, empresa norte-americana que vende exclusivamente voos nas naves Soyuz com destino à "casa" dos astronautas na órbita terrestre.

A Estação Espacial Internacional resulta de um parceria entre NASA, ESA, Roscosmos e as congéneres canadiana CSA e japonesa JAXA. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project