INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líbano, Covid e repressão da liberdade de expressão — MNE Líbano recebe embaixadora dos EUA proibida de falar aos ’media’ libaneses 30 Junho 2020

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Líbano, Nassif Hitti, encontrou-se nesta segunda-feira, 29 com a embaixadora dos Estados Unidos, Dorothy Shea, para a ouvir após os comentários que a diplomata fez no sábado sobre o Hezbollah. O incidente levou à proibição de entrevistar a representante de Washington no país.

A notícia foi veiculada primeiro através da agência noticiosa libanesa, sem avançar detalhes.

Segundo a imprensa local, o ministro — que no domingo expressou a preocupação de que Shea com as suas palavras estaria a incitar conflitos entre os libaneses — convocou a embaixadora para lhe lembrar que de acordo com a Convenção de Viena, uma embaixada não tem o direito de interferir nos assuntos internos do país em que está acreditado.

No sábado, um juiz decidira classificar de "sediciosas e ameaçadoras para a paz social" as críticas que a diplomata — entrevistada na televisão pública saudita, Al-Hadath — fez sobre o Hezbollah.

A diplomata acusou a organização sediada em Beirute de estar "a obstruir as reformas económicas", em especial porque "recebe biliões de dólares dos cofres do Estado".

Shea expressou ainda "sérias reservas" sobre a "sinceridade" do Hezbollah ao apoiar "depressa demais o novo governo".

Na sequência, esse juiz declarou que os media a operar no Líbano, sejam nacionais ou não, ficam proibidos pelo período de um ano de entrevistar a embaixador Dorothy Shea.

Recorde-se que os Estados Unidos mantêm o Hezbollah na lista de organizações terroristas, devido às ligações deste grupo islâmico ao Irão.

Pós- entrevista

No final da tarde de segunda-feira, a embaixadora Shea falou à imprensa à saída de entrevista com o ministro.

"Virámos a página deste infeliz incidente, para podermos focar no que realmente interessa", que é "a saída da crise económica que o Líbano atravessa", disse a embaixadora.

Um comunicado oficial do MNE no mesmo dia, lembrou que o Líbano é um país "democrático" e que preza "a liberdade de expressão".

...

Fontes: Washington Post/Al Jazeera. Fotos(AP): Em plena crise pandémica —com 1715 casos e 34 óbitos — o Líbano enfrenta ainda uma aguda crise económica e política. A embaixadora Shea recebida pelo presidente libanês, Michel Aoun.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project