POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líder da UCID diz que mensagem de Ano Novo do Presidente da República é “um alerta” aos decisores políticos 03 Janeiro 2023

O presidente da UCID manifestou hoje “sintonia” com a mensagem de Ano Novo do Presidente da República, que classificou de “alerta” aos decisores políticos, nomeadamente o Governo, e exortou para que haja um clima de tranquilidade em 2023.

Líder da UCID diz que mensagem de Ano Novo do Presidente da República é “um alerta” aos decisores políticos

O líder da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID, oposição), João Santos Luís, falava em conferência de imprensa, no Mindelo, para reagir à mensagem de Ano Novo de José Maria Neves, a qual, no entendimento desse líder partidário, “reflecte questões” que a UCID tem levantado tanto na Assembleia Nacional, como no encontro que manteve com o Chefe de Estado, no mês de Dezembro.

“O Presidente da República está a fazer o seu papel, a exercer a sua magistratura de influência e pensamos que com esses alertas o Governo e as instituições que detém o poder político possam abrir-se mais ao diálogo e tenhamos um País melhor e mais bem governado em direcção às necessidades da população”, concretizou a mesma fonte.

Santos Luís destacou ainda o facto de o Presidente chamar atenção para a questão das causas que estão na génese da escalada da violência urbana, assunto a que a UCID, sintetizou, se tem referido “repetidamente”.

Aliás, continuou, “muitas vezes dissemos ao Governo que as medidas que têm sido tomadas neste quadro têm sido de reação, temporárias, que não servem para um efectivo combate à criminalidade” no País, sobretudo na Cidade da Praia.

“O Presidente ainda bem que colocou tónica nesta questão, o que achamos importante como alerta ao Governo, para que possa implementar medidas assertivas”, continuou, que, do ponto de vista da UCID, devem passar por um plano de prevenção, recuperação e de reinserção, para que as medidas sejam “duradoiras e implementadas para que haja tranquilidade principalmente na capital do País”.

Ainda neste capítulo do combate à criminalidade, destacou o facto de o Presidente da República ter mencionado a questão das armas, pois “coincidentemente ou não”, precisou, ainda hoje haverá uma reunião da comissão especializada na Assembleia Nacional sobre a aprovação na especialidade da lei que altera a lei das armas e munições no País.

A lei já tinha sido aprovada na generalidade, sintetizou o líder da UCID, e agora com este repto lançado pelo Presidente da República ela será aprovada hoje na especialidade e certamente irá para a aprovação na votação final global na próxima sessão da Assembleia Nacional neste mês.

A UCID, segundo o presidente, corrobora ainda a ideia lançada por José Maria Neves sobre a necessidade de haver “uma sincronia e o reforço de capacidade dos órgãos de administração da Justiça”, para um “maior equilíbrio e que a sensação de impunidade desapareça”, sem esquecer a questão da morosidade.

Concorda igualmente com a referência do Presidente da República aos órgãos de comunicação social à sociedade civil, que devem “ganhar algum vigor e autonomia” para o melhor desempenho do seu papel.

“Estamos a viver num Estado de direito democrático em que a informação é fundamental quando bem divulgada pelos órgãos de comunicação social, os quais devem ser uma instância formadora de ideias e da própria sociedade civil”, sintetizou Santos Luís.

“Esperamos um ano 2023 melhor, pese embora o facto de as previsões a nível internacional não serem muito boas, pois não estamos sós, e como tal o Governo tem que ter em conta essas previsões e fazer um esforço de contenção de despesas para que as famílias cabo-verdianas não passem por situações que passaram em 2022”, reiterou o presidente dos democratas cristãos.
A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project