POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líder da bancada municipal do MpD acusa PAICV de lançar suspeitas “infundadas” sobre as obras da praça do Palmarejo 09 Agosto 2018

O líder da bancada municipal do MpD na Câmara Municipal da Praia acusou hoje os deputados municipais do PAICV (oposição) de lançarem suspeições “infundadas” sobre as obras de requalificação da praça do Palmarejo.

 Líder da bancada municipal do MpD acusa PAICV de lançar suspeitas “infundadas” sobre as obras da praça do Palmarejo

Ivan Bettencourt fez estas acusação em conferência de imprensa , para falar sobre a requalificação da praça do Palmarejo e se posicionar sobre declarações efectuadas segunda-feira, 07, pelo líder da bancada municipal do PAICV , segundo as quais o projecto não foi submetido e nem aprovado pela Assembleia Municipal.

Perante esta afirmação, Ivan Bettencourt apresentou provas de deliberações aprovadas em Assembleia Municipal e que foram publicadas nos B.O II Serie nº 14 de 7 de Abril de 2010, com deliberação de 30/2009, deliberação 09/2010 publicada no B.O nº 22 II serie de 02 de Junho de 2010 e deliberação 08/2011, publicada em BO nº28 II Serie de 27 de Julho de 2011.

“Face a este esclarecimento podemos dar conta que a bancada do PAICV não tomou conhecimento do início das obras via redes sociais. Aliás, a câmara quando liderada pelo PAICV de 2000 a 2008 distribuiu o Plano Detalhado de Palmarejo e delapidou todos os espaços públicos existentes no Palmarejo”, disse.

Segundo o líder da bancada do MpD, perante os “avultados investimentos necessários” para a construção da praça do Palmarejo, desde 2009 a Assembleia Municipal da Praia deliberou e autorizou a mobilização para um projecto público-privado, para regime de concessão de direito de superfície por um período de 40 anos.

Com base nesta decisão, afirmou, a câmara municipal aprovou o projecto e assinou um contracto de concessão, em 2009, com um grupo privado que não avançou, tendo sido revogado o contracto para, em 2011, ter aprovado um outro contracto que, também, não prosperou devido a problemas financeiros do grupo privado.

“Como demonstramos, trata-se de um processo transparente e legal, de grande utilidade e interesse publico municipal, que vai gerir 50 postos de trabalho na fase de construção e mais 100 na fase de exploração, resolvendo assim o problema de parqueamento no Palmarejo”, disse.

Neste âmbito, Ivan Bettencourt afirmou que o MpD compreende ” a aflição do PAICV”, uma vez que, sublinhou, “a Cidade da Praia, com tantas obras em curso, de qualidade e utilidade pública, não tem permitido que a oposição passasse a sua mensagem e argumento”, pelo que estes “têm investido em lançar suposições para tentar enganar os mais distraídos”.

O grupo Kim Negocio (KN), que é um parceiro da Câmara Municipal da Praia, além de Palmarejo , já tem projectos de cariz público-privada na zona de Paiol e rotunda Ponta de Água.

As obras de requalificação da praça no bairro de Palmarejo têm suscitado várias criticas no seio da comunidade deste bairro, que em Novembro de 2017 apresentou um projecto de requalificação da praça à Câmara Municipal.

O Partido Popular (PP), força política sem assento parlamentar, disse também que vai pedir o embargo das obras , frisando que a câmara violou a lei porque o projecto não foi aprovado pela Assembleia Municipal.

O projecto Praça de Palmarejo irá abarcar espaços verdes, áreas de entretenimento, lojas e um parque para cerca de 200 viaturas irá custar a volta de 300 mil contos. A Semana/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert

Newsletter

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project