POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líder do PAICV discursa no Congresso do PAIGC e participa na reunião dos partidos africanos da libertação nacional 27 Janeiro 2018

A Presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), que é também vice presidente da Internacional Socialista (IS), vai discursar, enquanto convidada, no IX Congresso do PIGGC, que acontece entre 30 de Janeiro e 4 de Fevereiro, na Guiné-Bissau. Janira Hopffer Almada deve ainda participar na reunião dos Partidos Africanos de Luta da Libertação Nacional, que vai ocorrer paralelamente ao conclave da formação fundada por Amílcar Cabral.

Líder do PAICV discursa no Congresso do PAIGC e participa na reunião dos partidos africanos da libertação nacional

Para além do anfitrião, o Presidente do PAIGC Domingos Simões Pereira, o IX Congresso do PAIGC contará com a presença de outras figuraras relevantes como o Secretário para as Relações Exteriores do MPLA, Dino Matross, e o Presidente do MLSTP, Aurélio Martins.

Conforme o programa de trabalho, o discurso da líder do PAICV está previsto para o segundo dia da magana assembleia do PAIGC.

Em nota, o PAICV informa que Janira Hopffer Almada terá ainda encontros com a comunidade cabo-verdiana radicada naquele país irmão – vai inteirar-se dos seus constrangimentos e aspirações. Vai ainda reunir com as estruturas, os militantes, amigos e simpatizantes da mesma organização política na Guiné.

À margem do Congresso, a líder do PAICV participará na reunião dos Partidos Africanos de Libertação Nacional, que vai decorrer na cidade de Bissau.

Segundo as nossas fontes, a iniciativa não surgiu por acaso. É que por altura do Congresso da FRELIMO em Moçambique, a República de São Tomé e Príncipe havia proposto que se voltasse a reunir os Partidos históricos da libertação, nomeadamente dos PALOP (PAIGC, MPLA, PAICV, FRELIMO, MLSTP, FRETILIN), bem como os dos Países que tiveram enorme relevância nos processos políticos que conduziram às independências em África, designadamente a Argélia, a África do Sul, a Tanzânia e a Zâmbia.

Lembra o PAICV que, com o final da Segunda Guerra Mundial, o ideal de Independência dos Países Africanos colonizados transformou-se num desígnio de massa. «Diversos movimentos independentistas ecoaram o grito de liberdade política, tendo a maioria enfrentado sérios problemas de dependência económica. Tais movimentos ocorreram por meio da guerra ou da independência gradual comandada pelas metrópoles, ao transferirem o poder às elites locais», conclui em nota o maior partido da oposição em Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project