LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líder do PAIGC afirma que partido precisa de trabalhar na consolidação da disciplina interna 18 Novembro 2022

O líder do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira disse hoje que o partido precisa de trabalhar na consolidação da disciplina interna e defendeu reformas estruturais.

Líder do PAIGC afirma que partido precisa de trabalhar na consolidação da disciplina interna

Pela terceira vez consecutiva, após vencer eleições legislativas, o PAIGC é arredado do poder, por manobras de divisão, por interferências de vária ordem, por atropelos descarados à ordem constitucional”, afirmou Domingos Simões Pereira.

O líder do PAIGC falava na sessão de abertura do X congresso do partido, que vai decorrer até domingo em Ponta Gardete, nos arredores de Bissau.

Esta situação causa efetivamente desgastes na estrutura de qualquer entidade política, como é o caso do PAIGC, havendo a necessidade de importantes alterações internas e mesmo de reformas estruturais”, considerou o líder partidário.

Segundo Domingos Simões Pereira, o PAIGC precisa apostar nos “ganhos alcançados e de provar o seu alinhamento incondicional com os princípios e valores da sua linha ideológica e o seu compromisso é servir a nação e o povo guineenses”.

O PAIGC precisa de trabalhar mais na consolidação da disciplina interna, na pluralidade das suas bases de apoio e criando condições objetivas para que, uma vez reconquistado o poder, ele possa ser exercido através da concretização do projeto político anunciado e prometido”, afirmou.

Nesse sentido, o líder do partido defendeu que o PAIGC “não pode dar-se a aventuras, alimentadas pela vontade de uns poucos, de se satisfazerem sem provar a sua preparação e capacidade para conduzir os desígnios do partido e do país”.

“Este é o momento de consolidar e dessa forma preparar o partido para o salto qualitativo que se anuncia, depois de oito anos de abnegado trabalho desta direção
”, referiu.

Para Domingos Simões Pereira, se o partido “seguir aquela linha de estabilidade interna, estará a corresponder às expectativas da população guineense e será mais que meio caminho andado para a proclamação inequívoca do PAIGC como a força do povo na condução dos destinos do país nos próximos anos”.

O congresso do partido, dedicado ao tema “Consolidação da Coesão Interna, a luz do pensamento de Amílcar Cabral, pelo resgate do poder popular e promoção do desenvolvimento”, vai decorrer até domingo.

O PAIGC deveria ter realizado o seu congresso em fevereiro, mas foi adiado devido às restrições sanitárias impostas pelo Governo para combater a pandemia de covid-19.

Questões judiciais, algumas das quais que levaram à intervenção das forças de segurança, impediram o partido de realizar o congresso por mais três vezes.

O Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização do PAIGC aceitou seis candidaturas à liderança do partido, mas fontes partidárias disseram que dois candidatos, Raimundo Pereira e Martilene dos Santos, retiraram, entretanto, as suas candidaturas. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project