Legislativas 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Lista PAICV/São Nicolau: Hipólito Barreto anuncia como prioridade resolver ligações marítimas e áreas da ilha com o país e mais água para a agricultura 10 Abril 2021

O cabeça-de-lista do PAICV pelo círculo eleitoral de São Nicolau estabelece como prioridade das prioridades trabalhar, caso o seu partido vença as eleições gerais de 18 de Arbil, resolver o problema dos transportes aéreos e marítimos de e para a ilha, facilitando a circulação de pessoas e bens e visitas dos emigrantes à terra-mãe. Além de investimentos no sector da saúde, Hipólito Barreto defende, em entrevista ao A Semana, apostar também na mobilização de água para a agricultora, através da dessalinização da água do mar/furos, prospecção de água subterrânea e captação da água das chuvas, recuperando a barragem de Banca Furada na zona de Fajã, que foi, segundo a mesma candidatura, abandonada pelo atual governo de Ulisses Correia e Silva. Confira a seguir as propostas da lista do PAICV (com a foto da equipa na roda pé desta entrevista) para a Ilha do Chiquinho.

Entrevista conduzida por: Maria Cardoso/Redação

Lista PAICV/São Nicolau: Hipólito Barreto anuncia como prioridade resolver ligações marítimas e áreas da ilha com o país e mais água para a agricultura

A Semana - Como está composta a vossa lista em termos de competência técnica e género?

Hipólito Barreto - A lista é composto por jovens com uma vasta experiência técnica, que trabalha em prol do desenvolvimento sustentável da ilha, pessoas responsáveis e com a capacidade de enfrentar os desafios e buscar formas de os resolver.
No que diz respeito ao género, a lista é composta por três mulheres e dois homens, com uma média de 38 anos de idade. Como pode ver, respeitamos a Lei da Paridade, sendo que a percentagem é de 60% mulheres e 40% homens.

Quais são as grandes apostas da vossa candidatura para o desenvolvimento da ilha de São Nicolau?

- As nossas grandes apostas são as seguintes:

  • a) Queremos resolver o problema dos transportes de e para São Nicolau, tanto aéreo com marítimo, facilitando a circulação de pessoas e bens e facilitar em grande medida a visita dos nossos emigrantes à terra mãe;
  • b) Melhorar as condições de saúde na ilha, quer em termos de recursos humanos, infra-estruturas e equipamentos, quer em termos de meios diagnósticos, diminuindo as evacuações para as outras ilhas;
  • c) Desenvolver a agricultura com a mobilização de mais água, quer através da prospeção de água subterrânea, mas também com a captação da água das chuvas. Aqui convém realçar que a barragem de Fajã será recuperada, beneficiando todo o vale de Fajã, mas com grande repercussão na economia da ilha. A produção de água dessalinizada será uma aposta, não só para o consumo, mas também para a agricultura. A aposta é na mobilização de água para o abastecimento de água canalizada a todas as pessoas, mas também apostar no desenvolvimento da agricultura que acreditamos vai dar um grande salto qualitativo e quantitativo em toda a ilha, criando alternativas ao rendimento e fixando a população na nossa ilha. Acreditamos que a aposta vai ser ganha.
  • d) No domínio das pescas será construído um novo porto de pescas e criadas as condições para um maior desenvolvimento desse sector, nas zonas piscatórias da ilha;
  • e) A habitação será um sector que merecerá a nossa atenção, com a construção de casas sociais e melhoramento das condições de habitação, particularmente das pessoas mais carenciadas;
  • f) Acreditámos na capacidade dos jovens, por isso iremos criar oportunidades de emprego, de educação/formação, sem esquecer das bolsas de estudo que são difíceis de obter na ilha.

Para além dos sectores atrás referenciados, outras áreas serão merecedoras da nossa atenção, como a educação e a formação profissional, o turismo ecológico, as vias de acesso, as energias renováveis, a cultura e o ordenamento do território.

Revisão dos acordos no sector de transportes e turismo

O que está previsto em relação ao transporte para tirar a ilha de São Nicolau do isolamento em que se encontra?

- Conforme já anunciado pelo PAICV, a primeira tarefa será rever e renegociar o acordo de privatização da nossa companhia aérea nacional. O acordo existente não é de interesse nacional e deve ser revisto para garantir que atenda aos objetivos de facultar serviços de qualidade a preços razoáveis e proporcione condições de circulação em todo o país.

Vamos renovar e recapitalizar a nossa companhia aérea nacional. O nosso objetivo é fazer o que o governo deveria ter feito na IX Legislatura. A Cabo Verde Airlines precisa de reestruturação e recapitalização. Qualquer negociação deve facilitar a reorganização da companhia aérea, garantir que ela seja otimizada, eficiente e capaz de fornecer serviços de qualidade, a baixo custo. Isso exigirá recapitalização e reorganização da companhia aérea, para atender o interesse nacional.

Recuperar as operações domésticas. Uma das decisões escandalosas do governo da IX Legislatura foi o encerramento das operações domésticas da companhia aérea nacional.

Empreenderemos um processo que inclua a revisão estratégica, a formulação de estratégia e o desenvolvimento de um plano de ação para garantir a reintrodução dos serviços domésticos. Isso acabará com o monopólio das viagens aéreas domésticas e facilitará a melhoria dos serviços.

Vamos também renegociar o acordo de transporte marítimo inter-ilhas. A reconstrução do setor do transporte marítimo começará com a revisão e renegociação do acordo para o transporte inter-ilhas. O acordo não está a surtir efeito e precisa ser revisto para garantir que o mesmo beneficie Cabo Verde e, consequentemente, nunca colocar o país numa situação em que uma empresa privada possa ameaçar ou chantagear novamente o nosso país.

Qual é a vossa proposta a nível de turismo?

- O turismo é o núcleo da economia nacional. Porém, em relação a S. Nicolau, entendemos que a aposta será num turismo sustentável, com enfoque na preservação do meio ambiente, isto é desenvolver um turismo de pendor ecológico.
Note-se que temos duas das sete maravilhas de Cabo Verde, o que é algo que deve ser aproveitado e maximizado, ligado às condições excelentes do mundo rural ainda considerado praticamente virgem.

Queremos também investir no turismo rural, aproveitando das nossas montanhas, zonas rurais para promover caminhadas à volta da ilha, o que traz muitos mais turistas para a ilha.

Por outro lado, São Nicolau tem uma rica cultura, com um extraordinário histórico religioso e rico legado patrimonial. Este atrativo será explorado como potencial para diversificar a oferta turística.

Qual é a vossa meta em termos de mandatos a eleger?

- Acreditamos que o povo nos vai eleger como Deputado.
Sendo eleito Deputado Nacional, S. Nicolau terá sempre uma voz activa, lutando para o seu desenvolvimento, com forte aposta nos sectores como a agricultura, a pesca, na melhoria da prestação da saúde e nos transportes aéreos e marítimos, por forma a alavancar os restantes sectores de actividade e criação das condições para mais emprego e consequentemente a fixação da população na ilha.

Covid-19 e principais desafios da ilha

Que métodos vão ser utilizados para fazer campanha em tempos de pandemia?

- Devido às características epidemiológicas e patogénicas da pandemia de Covid-19, levaram a diversas restrições. Assim sendo, estamos a adotar e privilegiado os contatos porta-a-porta, respeitando as regras emanadas pelas estruturas da Saúde, evitando a aglomeração de pessoas.

Por outro lado, as redes sociais constituem uma ferramenta para chegar com as nossas propostas aos eleitores, particularmente ao eleitorado mais jovem.

Na sua ótica, quais são os principais desafios a se vencer na ilha de São Nicolau?

- De entre os principais problemas da ilha podemos destacar:

  • - Falta de transportes marítimos e aéreos, para ligar São Nicolau a outras ilhas, o que dificulta a exportação da mercadoria produzida na ilha e a importação necessária para o nosso abastecimento.
  • A falta de transporte também cria sérias dificuldades na circulação de pessoas e bens, para além de estrangular economicamente a ilha e dificultar a nossa grande potencialidade que são os nossos compatriotas residentes e que trabalham no estrangeiro.
  • - Um outro problema é, efectivamente a saúde. As condições em termos de saúde são precárias, havendo necessidade da deslocação de especialistas com maior frequência e de mais equipamentos de diagnóstico.
  • - Maior disponibilidade e mobilização de água para abastecimento da população e para a agricultura é uma prioridade para o desenvolvimento da ilha.
  • - A nível de educação, a Escola Secundária Baltazar Lopes da Silva carece de uma requalificação, bem como algumas escolas precisam ser requalificadas e forte implementação da formação profissional.

Quais os principais problemas verificados e que considera como obstáculo no desenvolvimento do seu círculo eleitoral?

- Os principais entraves ao desenvolvimento de São Nicolau são as seguintes:

  • - Carência de transportes;
  • - Défice de água para consumo humano e para a agricultura;
  • - Falta de formação profissional virada para o mercado de trabalho;
  • - Falta de bolsas de estudos para os alunos prosseguirem o ensino superior;
  • - Falta de emprego;
  • - Deficiente qualidade de saúde, por não haver meios suficientes para os profissionais do sector.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project