LEITURA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Lúcia Vicente e Gilda Barros apressentam livro “Raízes Negras” em Lisboa 04 Novembro 2021

Em parceria com a Editora Nuvem de Tinta e o Centro Cultural de Cabo Verde em Portugal, as autoras, Lúcia Vicente e Gilda Barros, apresentam este sábado, 06, o livro "Raízes Negras", a acontecer no Centro Cultural de Cabo Verde, localizado na Rua de São Bento, Lisboa. A apresentação será moderada pela escritora Gisela Casimiro e contará com a presença da deputada Beatriz Gomes Dias e da empresária Myriam Taylor.

Lúcia Vicente e Gilda Barros apressentam livro “Raízes Negras” em Lisboa

Escrito por Lúcia Vicente e ilustrado por Gilda Barros, este “magnífico álbum”, de mais de 50 histórias biográficas, é uma prova de como os muros do preconceito podem ser derrubados e uma inspiração na luta por um mundo mais justo e livre.

Segundo uma nota remetida ao Asemanaonline, a obra teve o apoio institucional da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, através da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) e prefaciado pela Deputada à Assembleia da República, Beatriz Gomes Dias.

“Raízes Negras” traz histórias de pessoas “admiráveis e inconformadas”. Uma celebração de pessoas negras “visionárias”, que tiveram a coragem de “sonhar e mudar a sua vida, e a dos outros”.

De Martin Luther King a Marielle Franco, de Cesária Évora a Barack Obama, este livro inclui mais de 50 histórias biográficas de pessoas excecionais e pioneiras - algumas, icónicas, outras, menos conhecidas - que levantaram questões, ultrapassaram barreiras, abriram caminhos, superaram expetativas e inspiraram gerações, conforme apontam a autoras.

“São exemplos de coragem, perseverança e liderança que não deixam esquecer como chegámos aqui e que nos lembram que podemos e devemos ir ainda mais longe. Explorando as raízes e influências de pessoas negras que se posicionaram contra um mundo que nem sempre as aceitava, este livro é o ponto de partida perfeito para uma discussão informada sobre o racismo e a tolerância”, salientam.

Percurso das autoras

Lúcia Vicente nasceu em outubro de 1979. Em 1995, criou, juntamente com um grupo de amigos, o coletivo feminista Mulheres Unidas Pela Igualdade (MUPI) e dedicou-se ao ativismo feminista desde adolescente. O seu primeiro livro para crianças, Portuguesas com M Grande, foi publicado em 2018, e no ano seguinte lançou a coleção infantil Sarita Rebelde. Os livros de princesas sempre lhe provocaram urticária. Feminismo de A a Ser, o seu segundo livro, tenta (com dificuldade) educar adultos.

Já Gilda Barros nasceu em Cabo Verde, na Cidade do Mindelo, ilha do Monte Cara, em 1994. O seu percurso artístico teve início no ensino secundário, quando frequentava o curso técnico de Construção Civil na Escola Técnica na ilha de São Vicente, em Cabo Verde. No entanto, acabou por enveredar pela área do Design, no MEIA (Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura), tendo um interesse predominante pelo Design Gráfico e pela Arte Urbana, como o graffiti, entre os quais se destacam diversos murais espalhados pela cidade. Já venceu vários concursos e, em 2020, os seus projetos foram selecionados para fazer parte do Salão de Design Created in Cabo Verde, no âmbito do concurso realizado pelo CNAD na URDI.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project