NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Maio: Monumento de Revolta de Ribeirão Manuel completamente restaurado em finais de Novembro 14 Novembro 2019

O artista plástico Domingos Luísa, responsável pelo restauro daquela obra de arte, garantiu, esta quarta-feira, à comitiva liderada pelo presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, que o restauro do monumento da Revolta de Ribeirão Manuel vai estar concluído em finais de Novembro.

Maio: Monumento de Revolta de Ribeirão Manuel completamente restaurado em finais de Novembro

Segundo a Inforpress, a artista plástico apresentou à equipa do IPC, liderada por Jair Fernandes, que se fez acompanhar pelo director dos Monumentos e Sítios, Jaylson Monteiro, e do Presidente da Infra-estruturas de Cabo Verde, Carlos Correia e Silva, o protótipo sobre o qual esta a trabalhar, os materiais, garantindo que em Novembro o monumento será devolvido à comunidade de Santa Catarina.

Aquele artista plástico que está a fazer os trabalhos de restauro integral do Monumento da Revolta de Ribeirão Manuel garantiu que a obra vai ser entregue em “óptimas” condições e com um material mais resistente, enfatizando que o mesmo é encimado com estatuas de homens e mulheres com armas erguidas, simbolizando o dito popular “homem faca, mudjer matchado”.

Revela a mesma fonte que o presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, visitou o ateliê do artista plástico Domingos Luísa para constatar “in loco” o ponto de situação dos trabalhos de restauro de um dos mais emblemáticos monumentos do Conselho de Santa Catarina, edificado em homenagem à conhecida Revolta que ocorreu na localidade por volta de 1910, em decorrência da recusa dos rendeiros em pagar as rendas dos terrenos ao morgado.

A revolta de Rubon Manel, muito marcante entre outras revoltas, ocorreu, prossegue a Inforpress, um mês após a Proclamação da República em Portugal e a posse, na Cidade da Praia, do Governador Marinha de Campos. Ribeirão Manuel sobressai um contexto que a forma de exploração agrária agrava as estruturas de arrendamento em anos de intensa seca e de má colheita, reanimando as tensões entre os morgados e rendeiros.

O restauro deste monumento é financiado integralmente pelo Governo de Cabo Verde, através do eixo IV do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), coordenado pelo Ministério das Infra-estruturas, do Ordenamento do Território e Habitação (MIOTH) e pela Infra-estruturas de Cabo Verde, orçado em mil e quinhentos contos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project