INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Mais de 70 mortos e milhares de feridos após explosões em Beirute 05 Agosto 2020

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, já assegurou que os responsáveis por esta "catástrofe", referindo-se às duas fortes explosões que abalaram Beirute, "irão pagar pelo que fizeram". Veja as imagens da destruição, que foram sendo partilhadas nas redes sociais.

Mais de 70 mortos e milhares de feridos após explosões em Beirute

Pelo menos 78 pessoas morreram na sequência de duas explosões sucessivas de grande dimensão, na capital do Líbano, em Beirute, durante a tarde desta terça-feira. Os números das vítimas mortais (que estão em constante atualização) são, segundo NM, avançados pela Reuters que cita o ministro da Saúde libanês às 23h.

As explosões ocorreram na zona portuária da cidade e Hamad Hasan confirma ainda que há quase quatro mil feridos.

"Há muitos desaparecidos até agora. As pessoas estão a perguntar às autoridades de emergência pelos seus familiares e é difícil fazer buscas à noite porque não há eletricidade", disse o ministro à agência.

Um responsável da Cruz Vermelha do Líbano conta que centenas de pessoas feridas estão a ser levadas para os hospitais. Outros continuam presos nas suas casas, devido aos escombros.

Portugueses no Líbano

Contactada pelo Notícias ao Minuto, a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas informa que "até ao momento, não foi possível obter informações relativamente ao envolvimento de portugueses nas explosões que ocorreram hoje em Beirute", Porém, a SIC Notícias está a avançar que uma cidadã portuguesa precisou de receber assistência hospitalar devido a ferimentos ligeiros provocados por estilhaços de vidro, estando já a recuperar em casa.

Como ocorreu a explosão?

Segundo a mesma fonte, as fortes explosões partiram janelas a quilómetros de distância, segundo conta a AP. As autoridades já confirmaram, que a explosão ocorreu numa área onde estava armazenado fogo de artifício e material explosivo que tinha sido confiscado há seis anos. Abbas Ibrahim, diretor da Direção-Geral da Segurança Geral do Líbano, revelou que se tratavam de 2.750 toneladas de nitrato de amónio, uma substância altamente explosiva, armazenadas no local onde ocorreram as explosões e que iriam ser exportadas para África nos próximos dias.

O presidente libanês reagiu, citado pela Aljazeera, considerando ser "inaceitável" que aquela quantidade de explosivos estivesse guardada num armazém sem quaisquer medidas de segurança e garantiu que os responsáveis iriam enfrentar "consequências duras".

Aquando das explosões eram visíveis nuvens de fumo laranja sobre a cidade. Nas imagens transmitidas pelos ’media’ locais eram visíveis várias pessoas presas em escombros, algumas cobertas de sangue.

A potência das explosões terá sido tal que foram sentidas no Chipre, a mais de 240 quilómetros de distância, em Nicósia, conta uma jornalista da BBC News. Foto: Getty Images

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project