REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ucrânia/Regiões ocupadas: Mais de 90% votam pela anexação à Rússia 27 Setembro 2022

É destaque do dia que mais de 90% dos residentes nas regiões de Donetsk, Luhansk,Zaporíjia e Kherson terão votado a favor da anexação à Rússia nos referendos, de acordo com os resultados parciais divulgados pelas autoridades nomeadas por Moscovo para as regiões.

Ucrânia/Regiões ocupadas: Mais de 90% votam pela anexação à Rússia

Segundo revela a EN, o escrutínio ocorreu durante cinco dias nestes territórios, que constituem cerca de 20% da área da Ucrânia. Uma votação classificada por Kiev e pelo Ocidente como uma farsa, mas que para o Kremlin justifica a ação militar.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que "salvar as pessoas dos territórios onde os referendos estão a ocorrer, é esse o principal objetivo da nossa sociedade e do nosso país."

As palavras de Putin não demovem Kiev que sublinha que estes referendos fraudulentos não alteram em nada a vontade dos ucranianos de defender a integridade territorial do país.

"O principal é que essas ações, essas decisões de Putin, não terão nenhuma influência na política, diplomacia e ações da Ucrânia no campo de batalha", frisou o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba.

A comunidade internacional fez saber que não vai reconhecer os resultados do alegado escrutínio. A União Europeia vai ainda mais longe e anunciou que haverá consequências para aqueles que participarem nos referendos que classificou de ilegais e ilegítimos.

Conforme a mesma fonte, o Parlamento russo deve aprovar, nos próximos dias, um documento para formalizar a anexação das quatro regiões ao país.

Entretanto, o antigo presidente russo, Dmitry Medvedev reiterou, esta terça-feira, a ameaça de que caso seja necessário, a Rússia irá recorrer a armas nucleares na guerra da Ucrânia para defender a integridade territorial do país.

Aliados da Ucrânia também denunciaram estas votações

Os aliados da Ucrânia também denunciaram estas votações, organizadas com caráter de urgência pela Rússia face ao progresso das forças de Kyiv, revela a Lusa.

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Políticos reiterou, numa reunião do Conselho de Segurança sobre os "referendos" de anexação esta terça-feira realizada, o apoio da ONU à "integridade territorial da Ucrânia" e das "suas fronteiras reconhecidas".

O G7, grupo dos sete países mais industrializados do mundo (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) prometeu, segundo ainda a Lusa, "jamais reconhecer" os resultados, enquanto Washington garantiu que dará "uma resposta severa" através de novas sanções económicas.

Em 2014, a Rússia usou o resultado de um referendo realizado sob ocupação militar para legitimar a anexação da península ucraniana da Crimeia, no Mar Negro.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project