INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Investigação sobre ’suicídio suspeito’ de Edil de Seul "potencial sucessor do Presidente Moon" 22 Agosto 2020

A justiça coreana, que tende a arquivar o processo com a morte do agressor, desta vez agiu diferente — para alívio da vítima no centro do caso e outras. As autoridades sul-coreanas anunciaram, esta semana, estar a investigar as acusações de assédio vindas do pessoal feminino do município de Seul contra Park Won-Soon, de 64 anos, cujo suicídio no dia seguinte a ter sido constituído arguido é tido como suspeito.

Investigação sobre ’suicídio suspeito’ de Edil de Seul

Várias organizações feministas e de defesa dos Direitos Humanos sul-coreanos estiveram muito ativas nas últimas seis semanas, a pedir uma investigação independente ao que consideram "suicídio suspeito".

Essa pressão para apurar a verdade conseguiu mudar o statu quo, pois o tribunal de Seul autorizou a prosseguir com o caso.

Defensor dos direitos da Mulher

O "poderoso político que tirou a própria vida porque foi acusado de assédio sexual" chocou muitos cidadãos que expressaram através da comunicação social e social media a sua deceção, tristeza.

Park Won-Soon era admirado como progressista, que "construiu a sua carreira política como defensor dos direitos humanos" e em especial dos "direitos das mulheres". Em 1990, o então advogado Park Won-Soon teve destaque mundial ao defender a primeira vítima sul-coreana de assédio sexual.

De defensor a carrasco, Park submeteu a jovem secretária durante quatro anos a "contactos físicos indesejados" e mensagens e fotos com "conteúdo sexual". A vítima impotente diante do chefe chegou a confidenciar isso com colegas, amigos e até a um repórter.

Numa mensagem ao país, lida durante uma conferência em fins de julho, a vítima expressara a sua "grande deceção" por não obter justiça—ela que "só queria um pedido de perdão".
— -

Fontes: Japan Times/Associated Press/SCMP. Relacionado: Mais de meio milhão contra exéquias oficiais do Edil de Seul — Vítima que denunciou assédio sexual fala ao país, 14.jul.2020; Coreia do Sul: Edil de Seul ’potencial sucessor do Presidente Moon’ achado morto após ex-secretária revelar assédio sexual, 11.jul.020. Foto (AP/ Kyodo): Familiares, amigos e colegas no funeral de Park, na segunda-feira, 13-7. (Foto inserta:) Advogada e ativista em conferência em nome da vítima, que "só queria um pedido de desculpas público".

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project