REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Médica francesa é suspensa por emitir certificados anti-máscara 16 Agosto 2020

Desde o início da crise pandémica, a médica Eve Engerer, de 60 anos, esteve ativa nas redes e na comunicação social a desaconselhar o uso de máscaras. De imediato convocada pela ordem dos médicos, a profissional com consultório perto de Estrasburgo defendeu a sua posição e continuou a "encorajar os seus pacientes a oporem-se ao uso da máscara" aconselhada pelas autoridades sanitárias. A emissão de um "certificado justificativo do não uso da máscara" foi a gota de água e o seu processo judicial teve desfecho esta semana com a condenação a cinco meses de suspensão da atividade.

Médica francesa é suspensa por emitir certificados anti-máscara

Eve Engerer, com consultório na aldeia de Wangenbourg-Engenthal, a poucos quilómetros de Estrasburgo, Alsace, publicou no dia 7 de agosto um falso certificado médico que distribuiu através do seu perfil de Facebook, porque "este é um certificado para todos, basta inserir o seu nome no espaço em branco".

"Certifico que (nome) apresenta uma contra-indicação médica ao uso da máscara, contínuo ou ocasional".

Ao ser convocada pela Ordem, a médica explicou o seu posicionamento: "A máscara, eu sei que é um embuste", "os números divulgados pelo governo são falsos", como ela revelou em entrevista a um jornal local, Dernières nouvelles d’Alsace.

"Quando respiramos o ar, absorvemos o azoto e este transforma-se com as bactérias do nosso corpo em proteínas. Ao colocar a máscara, a pessoa vai ficar ainda mais fraca", garante a profissional.

Irradiada?

Acusada de emitir falsos certificados, a médica suspensa arrisca a ser irradiada da ordem e do exercício da medicina.

Entrevistada na France Bleu, rádio pública francesa, esta semana, ela diz-se tranquila: "Essa irradiação não serve de nada, não sou a primeira nem serei a última. Eu irradio-me com o sol, respiro a luz".

"Prestei o juramento de Hipócrates diante de Deus e não de Bill Gates e da Big Pharma, os laboratórios farmacêuticos".

A referência a Bill Gates é, segundo a esfera mediática, parte da teoria do complotismo. Esta corrente é muito prolífica nas redes sociais e defende que a mundialização representada por políticos e multinacionais visa dominar os cidadãos desprevenidos.

Não está só

Jean-Marie Letzelter, presidente do conselho departamental da Ordem dos Médicos, ouvido pela AFP a propósito da suspensão de Eve Engerer, acrescentou que a entidade recebeu nos últimos três meses "uma dezena de alertas" sobre médicos que encorajam os seus pacientes a oporem-se ao uso da máscara.

Fontes: Le Monde/L’Express/outras referidas. Foto (AFP/Facebook): O porte da máscara é obrigatório e a sua falta é sancionada com multa. A médica Eve Engerer, que condena essa medida legal, foi condenada pela Justiça acionada pela Ordem dos Médicos de França..

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project