LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Moçambique: Elefantes matam 5 pessoas de grupo deslocado pelo djihadismo em Cabo Delgado 15 Julho 2022

Macomia, um distrito a norte é zona de refúgio para deslocados de Mocímboa da Praia na mesma província de Cabo Delgado invadida pelo terrorismo djihadista, mas tem estado a ser cenário de morte: no sábado não foram os humanos os assassinos mas sim uma manada de elefantes que atacaram um grupo de pessoas a trabalhar no campo. "Entre as cinco pessoas mortas estão uma mulher e duas crianças", relatam as fontes.

Moçambique: Elefantes matam 5 pessoas de grupo deslocado pelo djihadismo em Cabo Delgado

Os ataques ao norte de Cabo Delgado — com jazidas de gás natural, reservas de combustíveis — nestes últimos anos fizeram mortes e sobretudo pôs em fuga milhares de pessoas.

Responsável, o Al-Shabab, movimento djihadista muito ativo na África Oriental, que tem vindo a revindicar a maior parte dos atentados que desde 2012 têm trazido morte e destruição à região.

Memória de elefante?

Os ataques de elefantes que invadem e destroem espaços humanizados — como há um ano: Manada de elefantes anda 500 km e invade povoado na China, 09.jun.021 — têm sido explicados com a célebre expressão sobre a memória elefantina que guardaria rancores antigos e assim estaria a obter vingança sobre a crueldade humana.

A possibilidade de uma memória vingativa da espécie voltou a ser evocada o ano passado numa notícia do South China Morning Post, sobre dois elefantes em fuga duma reserva de Yunnan que atacaram uma lavradora, Zhao Xinmei de 69 anos, e pisotearam-na durante 20 minutos até à morte. O marido, Zhao Pihei, assistiu a tudo escondido no sítio onde se refugiara quando os paquidermes de aproximaram do casal que trabalhava no campo.

Fontes: Opaís.mz/noticias.mmo.co.mz/Lusa/ BBC/SCMP. Relacionado: Moçambique: Al-Shabab mais armado massacra dezenas, põe milhares em fuga de Palma, Cabo Delgado, 30.mar.021; Moçambique: Al-Shabab controla base militar próxima das reservas de gás, 24.mar.0201; Fotos: Sara Adamo chora o irmão, uma das cinco pessoas mortas pelos djihadistas que atacaram Macomia em fevereiro. Os deslocados do djihadismo em Cabo Delgado. O rancor de elefantes em proporção com a sua memória.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project