LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Moçambique: Ex-ministra do Trabalho detida por corrupção, PGR divulga lista dos 28 acusados no caso ’Dívidas ocultas’, entre 9 detidos está filho de ex-PR Guebuza 19 Abril 2019

Helena Taipo, a ex-embaixadora em Angola e ex-ministra do Trabalho foi detida na terça-feira, 16. A PGR-Procuradoria-Geral da República, em Maputo, divulgou esta quinta-feira a lista dos 28 acusados no caso das "Dívidas Ocultas", entre os quais Ndambi Guebuza, filho do ex-presidente Armando Guebuza, e mais oito ficaram em prisão preventiva.

Moçambique: Ex-ministra do Trabalho detida por corrupção, PGR divulga lista dos 28 acusados no caso ’Dívidas ocultas’, entre 9 detidos está filho de ex-PR Guebuza

Entre os arguidos ligados ao ex-presidente Armando Guebuza constam a sua ex-secretária Inês Moiane e o ex-conselheiro político Renato Matusse.

Também detidos foram o diretor do SISE Gregório Leão e a esposa Ângela Leão.

Segundo o diário Savana, o ex-governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, foi constituído arguido também, nesse processo judicial sobre as chamadas dívidas ocultas, por ter sido uma das entidades que autorizaram os empréstimos.

Os vinte e oito, até esta constituídos arguidos, estão acusados de crimes como falsificação de documentos, uso de corrupção de funcionário público, branqueamento de capitais, associação para delinquir.

Ministra teria sido subornada em 100 milhões de meticais

Acusada de ter recebido 100 milhões de meticais (153,74 milhões CVE) para beneficiar fornecedores do Instituto Nacional de Segurança Social, tutelado por ela, ministra do Trabalho, Helena Taipo, foi detida na tarde de terça-feira, 16.

A até há pouco embaixadora de Moçambique em Angola e antiga governante foi, pós a sua audição no Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC), conduzida para a 18ª Esquadra da PRM onde ficou detida preventivamente.

A decisão do Presidente da República de exonerar Helena Taipo do cargo de embaixadora extraordinária e plenipotenciária de Moçambique em Angola abriu caminho para a sua detenção 20 dias depois.

Helena Taipo, ministra do Trabalho entre 2005 e 2015, terá recebido o valor em 2014. Em 2015, foi exonerada das funções no Ministério do Trabalho e nomeada governadora de Sofala, cargo que ocupou até Julho de 2018, quando foi indicada para liderar a diplomacia moçambicana em Luanda.

Helena Taipo ficou oito meses na capital de Angola. No final do mês transato, teve de voltar a Maputo para responder por crimes de corrupção, num processo que envolve mais cinco arguidos. Fontes: O País/ Portal de Angola/DW.de/...

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project