LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Moçambique: Reeleito PR Filipe Nyusi Nyusi promete lutar pelo bem-estar dos moçambicanos e priorizar o combate aos que atacam populações no centro e norte — Oposição alega fraude 26 Dezembro 2019

O anúncio dos resultados oficiais das eleições — eleição presidencial, legislativas e provinciais (autárquicas) — de 15 de outubro fez-se mais de dois meses depois, na segunda-feira, 23, durante uma cerimónia pública, em Maputo, que contou com a presença de partidos políticos, coligações de partidos, grupos de cidadãos eleitores e observadores eleitorais. Nyusi prometeu lutar pelo bem-estar dos moçambicanos e priorizar o combate aos que matam as populações no centro e norte de Moçambique.

Moçambique: Reeleito PR Filipe Nyusi Nyusi promete lutar pelo bem-estar dos moçambicanos e priorizar o combate aos que atacam populações no centro e norte  — Oposição alega fraude

"O Conselho Constitucional valida os resultados das eleições presidenciais de 15 de outubro de 2019 e proclama eleito Presidente da República de Moçambique o cidadão Filipe Jacinto Nyusi", confirmou a presidente do Conselho Constitucional, Lúcia Ribeiro.

Filipe Nyusi, candidato presidencial da FRELIMO-Frente de Libertação de Moçambique, venceu com 73 por cento dos votos, seguido de Ossufo Momade, da RENAMO-Resistência Nacional Moçambicana, com 21,88%. Daviz Simango, do MDM-Movimento Democrático de Moçambique quedou-se pelos 4,24%.

A Frelimo venceu as legislativas também, com a maioria absoluta no parlamento. Conquistou 184 mandatos contra 60 da Renamo e seis do MDM.

O partido de Nyusi voltou a vencer nas eleições para as Assembleias Provinciais e para os governadores provinciais. A Frelimo venceu em todos os locais.

A mandatária da Frelimo, Verónica Macamo, afirmou que a vitória do seu partido resulta de "muito trabalho", dificultado pelos vários "constrangimentos registados durante o quinquénio". Em nome do partido prometeu: "Daqui para a frente é arregaçar as mangas e trabalharmos para cumprir aquilo que prometemos", rematou.

Irregularidades para uns, fraudes para outros

O Conselho Constitucional, órgão com autoridade eleitoral presidida por Lúcia Ribeiro, "considera que as irregularidades verificadas no decurso do processo eleitoral não influenciaram substancialmente os resultados das eleições.

Por outro lado, a Renamo e o MDM não se fizeram representar na cerimónia pública de confirmação dos resultados. Ambos alegam fraude eleitoral.

Nyusi promete emprego, acabar com a fome e trabalhar para a paz

Após o anúncio da validação dos resultados Filipe Nyusi, reeleito para um segundo mandato como chefe de Estado, fez o seu primeiro pronunciamento público e disse que a calma registada durante o processo eleitoral legítima a democracia no país e prometeu fazer o melhor para assegurar o bem-estar dos moçambicanos.

"Vamos trabalhar para mais emprego, mais energia, mais água, mais comida, para saúde, educação. Trabalharemos também para muita inclusão. As boas ideias não têm cor", salientou o presidente reeleito.

Filipe Nyusi disse que vai trabalhar também para pôr fim aos ataques que se registam no centro e norte do país: "Não queremos fazer guerra contra ninguém, mas também as populações não podem continuar a morrer como galinhas, não pode. Somos um Estado, somos um país com soberania. Essa é uma prioridade para nós, a tranquilidade", conclui o presidente reeleito. Fontes: O Dia/Lusa/DW.de

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project