POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Mosteiros/2º Mandato: PAICV fala em “muita satisfação” no seio do povo e MpD em promessas por concretizar 18 Novembro 2022

Os dois primeiros anos de mandato de Fábio Vieira nos Mosteiros têm avaliação diferenciada das bancadas municipais, com o PAICV a considerar que há “muita satisfação” no seio do povo, enquanto o MpD fala em promessas eleitorais por concretizar.

Mosteiros/2º Mandato: PAICV fala em “muita satisfação” no seio do povo e MpD em promessas por concretizar

Para o líder da bancada municipal do Movimento para a Democracia (MpD-oposição), Carlos Lopes, completado dois anos de mandato, a câmara continua a fazer promessas e socializações de obras de “grande vulto”, com os munícipes a clamarem pela sua materialização, mas sem nenhuma realização das promessas eleitorais.

Mosteiros, em tempos idos, tinha um papel “extremamente importante” no cenário nacional e internacional, tanto no contexto económico, como no social, cultural e político, mas, com o decorrer do tempo, isto tem sido ignorado por vários políticos locais e nacionais, lembrou Carlos Lopes, sublinhando que o município chegou a estar entre a segunda e a terceira maior potencialidade económica do país.

“Com o passar do tempo, por culpa de vários actores políticos locais e nacionais, houve uma profunda regressão económica, a ponto de Mosteiros ser hoje um dos concelhos mais pobres de Cabo Verde”, disse o líder do grupo do MpD, destacando que Mosteiros é uma referência agrícola, com produção do café e vinho com paisagem “fascinante” e uma das maiores áreas florestais do país, de entre outros.

A regressão é derivada, em grande medida, da “inércia ou incapacidade” de exploração e expansão dos recursos por parte de actores políticos que estiveram na vertente executiva que não souberam aproveitar, da melhor forma possível, os valiosos recursos, sublinhando que durante a campanha eleitoral houve promessas e passados dois anos a câmara não realizou “nenhuma” obra no município.

“Nos Mosteiros, a obra de maior expressão física e de envergadura financeira, que foi iniciada durante a governação municipal anterior e concluída pela nova edilidade, é a requalificação da orla marítima de beco, na cidade de Igreja, e contou com o financiamento exclusivo do Governo”, concluiu Carlos Lopes que apontou a reabilitação do aeródromo, a ligação Mosteiros a Chã das Caldeiras e a construção de um cais de pesca como desafios a vencer.

Por sua vez o líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-situação) na Assembleia Municipal, Isildo Gomes, considerou que os dois anos de mandato de Fábio Vieira e da sua equipa é “francamente positivo” e que a avaliação que os munícipes fazem está assente num pilar “fundamental” que é o bem-estar das pessoas.

“Sente-se que há muita satisfação no seio do povo mosteirense”, exteriorizou, acrescentando que, embora ainda existam muitos desafios a vencer, as perspectivas são “bastante animadoras”.

Segundo o mesmo, a equipa de Fábio Vieira soube conciliar dois aspectos fundamentais: a edificação de “grandes infra-estruturas” com o lado social, dando continuidade ao seu antecessor que era também um presidente de rosto humano.

“Às grandes infra-estruturas como a orla marítima de Beco, campo de Ribeira Ilhéu, arruamentos em várias localidades associam-se à construção de 15 moradias sociais e a reabilitação de 40 moradias para as famílias mais carenciadas e a criação do prémio mulher de fibra”, apontou Isildo Gomes.

A reabilitação da biblioteca municipal, apoio em mais de 25 mil contos concedidos a famílias e jovens do município, a criação do subsídio para apoiar jovens na realização da sua formação superior são outras realizações elencadas pelo líder da bancada municipal do PAICV nos Mosteiros.

Para Isildo Gomes, os dois primeiros anos ficam ainda marcados pela construção da casa e da praça dos pescadores que “são os grandes pilares” da economia marítima, pela instalação do museu do café e pela criação do gabinete de apoio ao emigrante, como forma de encorajar cada vez mais os emigrantes a investirem nos Mosteiros, para além do seu reconhecido papel no suporte das famílias.

Quanto a perspectivas futuras, Isildo Gomes apontou a asfaltagem do troço da estrada nacional de Fajãzinha a Achada Malva dos Mosteiros Trás que, segundo o mesmo, será outra marca do mandato já que se trata de um sonho de todos, para além do seu impacto na vida das pessoas, através da transformação positiva da paisagem, como grande atração turística.

“As sementes já lançadas através de apoios e incentivos a jovens para se dedicarem às actividades agropecuárias contribuirão para um melhor desenvolvimento da agricultura de regadio nas zonas baixas do município”, indicou Isildo Gomes, sublinhando que a dinâmica actual de desenvolvimento dos Mosteiros aconselha apoio a jovens na formação superior.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project