SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Crime cruel contra animal no Sal: Movimento Civil das Comunidades Responsáveis pede prisão para homem flagrado a esfaquear cão em Alto da Glória 28 Maio 2021

O caso de um homem que matou de forma cruel, com duros golpes de faca, um animal de estimação no Sal conhece novo capítulo com o Movimento Civil das Comunidades Responsáveis (MCCR) a pedir, hoje, pena de prisão para o indivíduo que foi flagrado em vídeo a esfaquear um cão, no bairro Alto da Glória. Tudo por considerar ser uma medida justa para aquele «acto de extrema violência» e desumano, que tem provocado revolta no seio da população.

Crime cruel contra  animal no Sal: Movimento Civil das Comunidades Responsáveis pede prisão para homem flagrado a esfaquear cão em Alto da Glória

Em declarações à Inforpress, a responsável do MCCR, Maria Fortes, disse considerar este acto de tal forma grave que pediu às autoridades judiciais que actuassem de acordo com a lei, e sugeriu que uma pena de prisão seria justa para esta situação.

“Chegou ao nosso conhecimento o vídeo, começamos a investigação e conseguimos saber quem foi o autor do crime, quem era o dono da cadelinha, que faleceu na sequência dos ferimentos sem qualquer socorro”, explicou, indicando que o vídeo é muito claro no sentido de tratar-se de um indivíduo com uma violência desmedida, demonstrando “sinais de psicopatia e sociopatia” e representando “um perigo muito grande” para a sociedade.

Segundo aquele activista social citada pela Inforpress, tudo indica que este acontecimento não é recente, e teve lugar antes do dia 6 de Maio, dia em que entrou em vigor a nova lei sobre maus tratos de animais.

Por isso, referiu, “não será possível” aplicar esta lei no referido caso, mas, sublinhou, há outros artigos, nomeadamente o 136º e 290º do Código Penal cabo-verdiano que poderão enquadrar o crime.

“É um crime semipúblico em que o dono deveria apresentar uma queixa, tendo em conta que não o fez, podem também organizações de defesas de animais fazer essa denúncia”, informou, sublinhando que em parceria com a Associação Bons Amigos vão proceder com uma queixa-crime.

Maria Fortes reiterou ainda a importância de uma intervenção terapêutica na comunidade, salientando que o movimento tem voluntários no terreno que investigaram o caso e que têm acesso à comunidade.

“Gostaríamos de participar no trabalho comunitário para alertar e analisar os valores e ajudar a mudar, é importante que esses valores mudem”, asseverou.

Segundo a mesma fonte, Fortes comunicou ainda que vão lançar uma petição com o título “Justiça à Nina”, nome da cachorra, endereçada ao sistema judicial no sentido de exercer as diligências necessárias, porque, destacou, este crime não pode ficar impune.

Por outro lado, revelou que há vários grupos que estão se mobilizando para uma manifestação, mas não está certo se será permitido, devido à situação epidemiológica no País.

O vídeo mostra o momento em que o indivíduo aparece segurando o cão pelo pescoço, com uma faca na mão, numa situação de descontrolo, desfere facadas ao animal indefeso, que, segundo testemunhas, veio a falecer, refere a notícia avançada pela Inforpress.

A conduta tem gerado uma onda de indignação nas redes sociais, em que várias pessoas pedem a prisão do praticante do crime em causa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project